Terrorista estúpido

“Eu me imolei, mas consegui mais adeptos do que o tal Jesus de vocês. E viva a Violência gratuita”.

Tenho escrito muito sobre a maravilhosa vida de Yehoshua. Ele não cativa muito. Embora se diga que o Brasil é um país de cristãos, começo a pensar que tipo de cristianismo vige entre nós. Vin Diesel, um dos mais furiosos propagadores da violência inútil, tem mais fãs que Ele. O terrífico produto de uma mente doente e conhecido como 007, então, nem se fala. É um Deus fabricado pela Violência estúpida cinematográfica? Então adquire imediatamente milhões de seguidores. Talvez os tresloucados suicidas-assassinos que se dizem praticantes do Islã consigam mais adeptos que o Salvador. Irônico… Será que o cinema norte-americano, onde os atores se esmeram em viver pelo pênis de aço com orgasmos de chumbo, tem a responsabilidade por isto?

Divagando um tiquinho, particularmente eu creio que quanto mais o ser humano banaliza o ato mais sagrado que Deus nos deu, a cópula, mais desesperado fica em seu íntimo por esta prostituição estúpida. Sem a sacralização do coito amoroso a família se desagrega. As mulheres se tornam mais promíscuas que os machos de nossa espécie. Com a “liberdade de ter orgasmos” sem a preocupação com gravidez indesejada, elas se atiraram numa competição totalmente imbecilizada: saber quem tem mais camas de motel nas costas, enquanto os homens pelejam para se medir pelo tamanho do pênis e pela suposta e totalmente errada ilusão de saber quem mais fez mulheres gozarem dominadas por eles. Quanta estupidez! Maior que esta, só os suicídios dos tresloucados. E eu me pergunto: os que analisam o terrorismo mundial estão levando em consideração esta frustração global no ato mais delicado da vida humana? Pois que há um componente sexual (frustrado) nos suicidas assassinos, há sim.

Comecei falando de terrorismo e cabe perguntar: um milionário se torna terrorista? Um milionário se explode para matar outros semelhantes? NÃO. Um Doutor pesquisador, que moreja arduamente dentro de um laboratório buscando a cura para doenças virais se explode com vistas a matar quantas pessoas consiga? NÃO. Um pai de família que passa seus dias suando em bica, principalmente nos países de terceiro mundo, para conseguir algum dinheiro para sustentar sua família, se veste com explosivos e vai matar quantas pessoas possa em nome de qualquer ideal imbecilizado? NÃO. Então, que classe de gente se presta a tamanha e absoluta estupidez?

J. R. Guzzo, colunista da revista VEJA, no exemplar de 27/06/2016, Ed. 2488 nos informa sobre isto. Ele diz que o inimigo público número um do mundo civilizado “não quer ocupar ou destruir objetivos militares; sua única estratégia é assassinar gente que está na rua”. Psicanalistas podem escrever uma montanha de livros rebuscados e recheados de palavras técnicas (os doutores da assim chamada Ciência da Alma adoram “nomões” complicados) e com isto ganhar uma boa grana. Mas não conseguem frear o comportamento destrambelhado dos suicidas em nome de NADA.

Quem são os terroristas? Diz-nos Guzzo: “grande parte é formada por desajustados sociais, alcoólatras, desempregados crônicos, reincidentes em crimes como furto, roubo, agressão, estupro. Nenhum deles precisa ter idéia, convicção ou experiência política alguma — basta que sejam pessoas sem freios morais ou interesses na vida e que aprendam a matar”. Eu acrescentaria também os que se vêem à parte da vida social ainda quando tenha uma vida confortável. Os que estão insatisfeitos consigo mesmos e não sabem como dizer isto; e os fracos emocionais, que são cooptados por pregadores maldosos, cheios de ódio e covardia no peito, que, não tendo coragem eles mesmos de cometerem o suicídio, tratam de decorar um livro dito “sagrado” de alguma religião dogmática aterrorizante para, através de uma falação idiotizante, convencer aqueles fracotes a se imolarem em nome de… NINGUÉM. Nem o Diabo se interessa por mortes espetaculares. O Diabo é mais refinado. Ele se assenhoreia de mentes tristemente brilhantes, mas que têm como objetivo os bens materiais, os lucros gigantescos e muitas, mas muitas vaginas à disposição de seus pênis. Estes, sim, são de total interesse do Demo. Estes homens gananciosos e concupiscenciosos gastam fortunas em filmes onde a temática é a Violência. Gastam milhões em máquinas de jogos onde o assassinato é a tônica fundamental. Matar “o inimigo” com uma arma de mentirinha prepara muito bem para moldar o assassino que será cooptado pelos covardes.

"Malhar, pode. Jogar tomate podre, não. Afinal, sou o Prefeito de vocês, cariocas!"

“Malhar, pode. Jogar tomate podre, não. Afinal, sou o Prefeito de vocês, cariocas!”

Nossa Sociedade Humana está fora dos trilhos. Os destrambelhados de todos os tipos culpam sempre os mais aloprados dentre eles, aos quais chamam de terroristas. Mas vamos tomar nosso país como exemplo, uma vez que é em seu  território que nós escrevemos nossos dramas. Quem realmente deve ser culpado pelos terroristas tupiniquins brasileiros? Falo dos que entram para o Crime tangidos pela fome, pela falta de oportunidade, pela desilusão com os serviços públicos imprestáveis que recebem dos desgovernos seqüenciais, cujos discursos na hora de colher votos nem mesmo variam: são sempre as mesmas mentiras e as mesmas promessas vazias. São sempre os mesmos palhaços macabros, sem-vergonha na cara, que rindo da miséria e do desespero daqueles que lhes deram votos e pelos quais deviam zelar, aparecem deitando falação e vomitando explicações absolutamente inúteis sobre o descalabro do desserviço que eles prestam ao povo, quer enquanto pessoas públicas, quer enquanto escravos de seus partidos bandidos. Falo, enfim, dos órfãos do Sistema Político Podre que não conseguimos nem abalar com nossa grita nacional. Nenhum deles saiu de cima de NOSSO PODER. Continuam lá, tramando meios de dificultar a entrada de gente nova, com idéias arejadas e vontade mudar a podridão que devia envergonhar-nos perante o Mundo, se o Mundo já não estivesse mergulhado em um oceano de vergonha universal. 

"Merda! O Eduardo nem pra terrorista presta!"

“Merda! O Eduardo nem pra terrorista presta!”

Nossos “terroristas tupiniquins brasileiros” são uma piada. Nem uma organização própria eles possuem e as que existem não estão voltadas realmente para o terrorismo como bandeira de uma causa, ainda que tal causa seja totalmente imbecil. Evidentemente falo daquele terrorismo de baixo escalão, totalmente idiotizado, que mata de repente e de surpresa e, pior, também se liquida. Nossos terroristas não tupiniquins fizeram curso no Exterior. São Polititicas versados na Arte de Matar com sadismo, através da malversação dos dinheiros públicos e dos desvios de verbas, quaisquer que sejam. Eduardo Paes, que fala boniiiittoooo diante das câmeras de TV é o mais atual exemplo que posso citar, visto que o outro Eduardo, o Cunha, está no ocaso de sua patifaria polititica e já não mais desperta nem mesmo o interesse da Mídia de Escândalos. Quem ainda anda interessado nele é a Polícia Federal e o peste do Moro, que teimosamente não quer desgrudar dos calcanhares de suas “Insolências”. O Paes Preparou uma armadilha para explodir nos dias das Olimpíadas. Ia ser sua glória. Mas o mar, desobediente, como todo bom brasileiro, jogou suas ondas furiosas antes do tempo e matou somente dois descuidados. Contudo, o Eduardinho do Rio não quer perder a parada. Ele compete com os que fizeram os monstros chamados Estádios pelos brasileiros (e Arenas, pelos paulistas). Ele preparou prédios pré-programados para desabar dentro de um ou dois anos após o mega-evento Olimpíada. Mas delegações rebeldes, que não aprenderam o modo brasileiro de encarar a vida — e que é tomando a benção àquele que o sufoca devagarinho —, estragaram a surpresa. A DELEGAÇÃO AUSTRALIANA, mal entrou pela porta social dos apartamentos no prédio-armadilha, já saiu correndo pela porta de serviço dizendo horrorizada que ali não ficaria nem debaixo de fuzil. Obrigou o Eduardinho carioca a mandar remendar tudo depressinha, enquanto apresentava um sorriso safado na TV com o fito de manter de pé a armadilha que está pronta para disparar quando os bonzões se forem. 

"Ainda bem que ele tá malhando o Eduardo. Enquanto faz isto, se esquece de mim, o velhote desgraçado!"

“Ainda bem que ele tá malhando o safado  do Eduardo. Enquanto faz isto, se esquece de mim, o velhote desgraçado!

Quem quer apostar que o terrorista polititica carioca vai concretizar seu plano? Os prédios vão desabar e talvez matar um punhado de invasores, pois com toda a certeza, a burrocracia pré-programada da Polititica Nacional no Rio vai permitir que os coitados se metam lá dentro. Assim, livram-se de um punhado de chatos que teimam o ano inteiro em ir morrer à míngua diante do Souza Aguiar ou, pior, dentro dele, por falta de tudo — do médico aos remédios e aos aparelhos necessários a hospitais que se prezem. Não que falte dinheiro. Afinal, os burros de carga brasileiros pagam uma montanha de dinheiro suado diariamente para engordar um Erário Público que de Público não tem nada. E mais: aquela coisa aparentemente bonita, virará antro de esconderijo de bandidões do baixo crime das drogas, da prostituição e do jogo escancarado entre os pobretões. Também poderá vir a ser um local de matança levada a efeito pelas milícias policiais. Uma beleza. Um presente que só o maquiavélico Eduardo Carioca teria a belíssima oportunidade de dar aos que o mantêm no poder. A força do medo que eles espalham entre os cariocas obnubila a capacidade do cidadão de reagir contra os chefões engravatados e descarados. Por isto, nas épocas das eleições, os habitantes do Rio nem mesmo apresentam jovens novos, sangue novo, para concorrer, ainda que apertadinho pela nova Lei das Eleições, com os cretinos que lá em cima já estão empoleirados há séculos. E o que vemos são as mesas caras sem-vergonhas e assassinas dizendo um oceano de desculpas totalmente esfarrapadas para o descontrole proposital da Administração Pública da ex-Cidade Maravilhosa. 

Isto, este terrorismo tupiniquim, é muito melhor e muito mais eficiente do que aquele praticado pelos imbecilizados do falso islamismo. Os patifes nos matam à míngua e ainda vão a Paris dançar, em um restaurante caro, com guardanapos nas cabeças (idiotas!) e pagando tudo com o dinheirinho dos defuntos fabricados. Há terrorismo melhor que este? Duvido!

"Ih! Danou-se! E se a moda pega? Copacabana vai virar uma zorra!"

“Ih! Danou-se! E se a moda pega? Acho que Copacabana vai virar uma zorra! Já pensou aqueles gringos parafusando no ar?”

Enquanto tivermos um Erário Público recheado como nenhum outro; enquanto tivermos um povo que se contenta em bater panelas e se submeter à carnificina patrocinada pela Má Administração Pública totalmente desaparelhada justamente para isto, para financiar a carnificina e manter o terror tupiniquim sobre nossas cabeças; enquanto tivermos e suportarmos um SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL composto por togados indicados por Partidos Políticos; enquanto tivermos a paciência de suportar inermemente os desmandos de um patife de marca, como Eduardo Cunha, mandando e desmandando, com sua quadrilha de subservientes, no nosso Legislativo, teremos a resposta ao POR QUE do cabeçalho deste post. Ou seja: deixar que a gleba de despatriados fabricada por eles entonteça e desnorteie a população trabalhadora, mas totalmente ignorante de Política verdadeira.

E qual é o objetivo último da luta pela manutenção do status quo que vige desde o imaginário e fantasioso Grito do Ipiranga sobre nossa gente? Manter os corruptos no Poder e, mais que isto, no futuro próximo colocar seus nomes nos livros de História do Brasil como verdadeiros heróis deste país de coitadinhos. E aqui está a resposta para a segunda pergunta do cabeçalho deste post.

Agora, que você chegou até aqui (um feito e tanto!), levante-se, dê três pulos para o alto girando furiosamente seu braço  direito com o punho fechado e gritando a todo pulmão:

VIVA A POLITITICA TERRORISTA BRASILEIRA!