O espiritismo é fechado para o Brasil Político. Seus praticantes vivem "no mundo da lua" neste quesito. Como os evangélicos fanáticos, acreditam que sua doutrina os salvará dos efeitos da Má Política.

O espiritismo é fechado para o Brasil Político. Seus praticantes vivem “no mundo da lua” neste quesito. Como os evangélicos fanáticos, acreditam que sua doutrina os salvará dos efeitos da Má Política.

Dizem os adeptos do Espiritismo que o que se faz de bom ou o que se faz de mal sempre retorna de alguma forma para nós. A mesma coisa diz a Bíblia, na sentença: “Porque eu sou um deus zeloso, que pune os pais nos filhos até a terceira e quarta gerações”. Esta oração, que causa grandes discussões sobre a Bíblia ratificar a idéia da transmigração do Espírito (comumente chamada de reencarnação), também confirma a idéia do retorno da ação boa ou má sobre aquele que a executou. Seja como seja, no tangente ao Terrorismo, vê-se claramente que uma ação má sempre traz de retorno ao que a pratica uma ação contrária que tende a ser igual em sentido e força e oposta em direção.

Particularmente creio, por meus estudos em Teosofia e afins, que na Natureza nada se cria, nada se perde; tudo se transforma. Se praticamos uma má ação, que traz prejuízo moral, ético, financeiro, emocional ou psicológico a alguém ou a uma comunidade (parente, vizinho, rua, bairro, Município, Estado da Federação ou à Federação mesma) os resultados de nossa ação nos volta de algum modo e nos faz experimentar o mal que criamos, ainda que transformado de tal modo que dificilmente podemos perceber seu retorno. A mesma coisa acontece em se tratando de uma ação meritória. Um dia seus efeitos retornarão a nós que lhe demos início.

Mas no Terrorismo Político Brasileiro é que encontramos o exemplo mais gritante do ditado que afirma que “quem planta ventos colhe tempestade” ou a comprovação da sentença do Rei dos Reis: “os maus por si se destroem”. O retorno aqui, nos últimos anos, tem sido do tipo vapt-vupt. Ou seja: fez, recebeu. E não é para daqui a perder de vista, como já foi nos séculos passados. É imediato.

Com esta foto, Lulão Trouxão, você perdeu metade de seu eleitorado. Se continuar como vai, perderá tudo. Ah, sim, o Mensalão já é um câncer que lhe corrói a vida política. Toma tento, idiota!

“SE O BICHO PEGAR EU CONTO COM VOCÊS, CUMPÃEIROS!” ELE NÃO DEVIA TER FEITO TRATO COM O DIABO…

Pois bem, em se tratando de Terrorismo, seja grosseiro como o praticado pelos pseudo-muçulmanos, seja sutil, como o praticado pelos Polititicas Nacionais Brasileiros, os atos de terror perpetrados por este pessoal retornam como bumerangues diretamente para eles. Senão, vejamos.

  1. Era um metalúrgico guerreiro. Liderava a massa de trabalhadores do ABC paulista. Era temido pelos presidentes e governadores, que o bajulavam. Foi eleito Deputado Federal e em sua ascensão de sucesso chegou ao mais alto cargo do nosso país: Presidente da República. E chegou lá em excelente momento, pois o Brasil precisava urgentemente sair do velho marasmo, porque os “caciques” entronados há séculos não conseguiam fazer nada novo para safar nosso país do atoleiro em que se debatia. Ele inovou. Retirou-nos, aparentemente, do atoleiro (e abriu outro escondidinho). Expandiu o leque de comércio com países nunca antes considerados pela elite de oligarcas (e que serviram às mil maravilhas para seus planos de roubalheira bem como daquela perpetrada pelos seus asseclas). O país passou inteiro e sem abalo pela crise econômica internacional. Foi até elogiado por Obama que disse que ele era “o cara”. Tinha tudo para se perpetuar no Poder. Mas deu a bobeira de se embriagar com “O Poder”. Fez associação com os lobes de empresas corruptoras. Aceitou facilmente a corrupção e colocou os chefões de seu Partido para agir. E estes não se fizeram de rogados. Agora, triste, apavorado, luta como pode para se livrar da cadeia. Mas tudo indica que não conseguirá. O amor que havia despertado nos brasileiros foi transformado em revolta. Para piorar, indicou como sua substituta uma revoltosa de 64 que até hoje não superou seu ódio pelos militares e sonhava (como ele também sonhou) transformar isto aqui numa imitação da Venezuela de Hugo Chavez e Maduro, trazendo para cá o sistema “socialista-comunista tupiniquim”. O Brasil naufragou. O povo se revoltou. As ruas se encheram. O medo chegou para as gangues do partidão. Ele perdeu o prestígio e despencou do pedestal de salvador da pátria para o rés do chão, onde patinam os traidores do Brasil. Suas trapaças foram descobertas e a Polícia Federal juntamente com o Juiz mais brasileiro que existiu nestes dois últimos séculos de nossa História se puseram nos seus calos. Seu terrorismo caracterizou-se pela apropriação indevida do dinheiro público através de manobras ilícitas nos contratos de licitações milionários. E não contente, enricou todos os seus familiares. No meio tempo, hospitais ficaram pelo caminho; educação, também; segurança pública e nacional se enfraqueceram terrivelmente; transporte público não mudou nem um til no sistema de corrupção que sempre manteve no nosso país; infra-estrutura se deteriorou; o Nordeste ficou a ver navios na questão da transposição das águas do São Francisco. E para piorar tudo, o Estado foi aparelhado para servir ao seu partido e isto é crime hediondo; batalhou para implantar aqui um sistema ideológico político frontalmente contrário àquele que rege nossa Constituição (o Republicano) e afrontou a plataforma em que este sistema funciona a contento (a Democracia). Ele traiu a todos nós, inclusive aos seus “cumpãeiros” de terceiro escalão social (os operários). Resultado deste comportamento terrorista é o que se vê: anda escondido; não aparece mais na Mídia, a não ser como caçado pela Justiça. Ele jogou no ar o bumerangue do terrorismo. A perigosa arma retornou para seu ponto de partida. E o resultado abominável está aí: “a alma mais honesta que há neste país está atolada até os cabelos no maior escândalo de corrupção que o mundo já viu”. 
  2. "Aqui vai ser implantado o comunismo e os militares que se cuidem!"

    “Aqui vai ser implantado o comunismo e os militares que se cuidem!”

    Era uma guerrilheira assaltante de bancos e assassina. Foi perseguida pelos militares que, não se sabe a razão, não a mataram. Safou-se dos pesados anos de 1960, mas nunca se livrou do rancor e do ódio ao “país dos militares”. Ganhou de seu antecessor e padrinho este país “limpinho, limpinho”, isto é, sem ter de fazer quase nenhuma força para isto. Arrogante, vingativa, oniróide em seu modo de entender o Brasil, acreditou-se a “dona da cocada preta” e passou a tratar a todos no Palácio do Planalto com a arrogância de uma Ditadora cujo sistema já está consolidado e o povo com a canga da subserviência. Seu padrinho esfacelou a PETROBRÁS e deu de mãos beijadas uma parte de nossa empresa ao tirano Hugo Chaves, que ainda por cima tripudiou sobre nós sem que o Presidente reagisse. Nunca fomos tão humilhados perante o mundo. Ela esbaldou-se ao herdar o país assombrado das mãos dele. Premiou Cuba com um porto maravilhoso, pago totalmente às nossas custas. Um dinheiro que jamais retornará ao nosso Erário. Pagou construção de rodovias no Peru e na Venezuela, também com nosso dinheiro doado sem-vergonhamente. Em vez de melhorar e equipar nossas Faculdades de Medicina, elaborando um plano de pagamento digno de nossos médicos para que fossem trabalhar pelo interior do país, aparelhando dignamente hospitais e Unidades de Pronto Atendimento, trouxe para cá “médicos” cubanos. Um meio de continuar alimentando o Caixa 2 de Fidel Castro e família. Seu “Mais Médicos” foi um fiasco (e continua sendo).

  3. Ela demonstrou sem sombra de dúvidas que ama muito mais ao caquético tirano de Cuba, do que ao povo brasileiro.

    Ela demonstrou sem sombra de dúvidas que ama muito mais ao caquético tirano de Cuba, do que ao povo brasileiro.

    A afilhada do metalúrgico incrementou ao exagero a política do “nós contra eles” e fomos divididos em quotas que nunca mais deixarão que o nosso BRASIL volte a ser o país da união, da alegria e do samba. Tudo o que tinha começado a ser feito nos governos anteriores, no dela deteriorou-se. A bandidagem dos municípios nacionais desembestou de vez e os assassinatos e as lágrimas dos abandonados pelo Estado rolaram e ainda rolam inutilmente e sem causar dó nem despertar piedade. A segurança pública Estadual dos governos de seus seguidores faliu totalmente. Os Estádios de Futebol, construídos às pressas e com preços superfaturados estão despencando. Foram feitos apenas para aquele momento, por empresas que, agora, têm seus donos e dirigentes amargando prisões e apertos na Justiça de Curitiba. Teimosa e arrogante, continuou cegamente a batalhar para consolidar seu “Tiranato”, como se não conseguisse enxergar que “a casa está caindo para o sistema podre” que seu Padrinho 9 Dedos tentou desenvolver entre nós. Seu Terrorismo foi a continuidade e a piora do que seu antecessor vinha fazendo “na surdina” contra nós. Em seu desgoverno tudo, absolutamente TUDO foi de mal a pior. Ela também jogou no ar o bumerangue do Terrorismo e ele, como sempre acontece, retornou ao seu dono (no caso, sua dona). Agora, acuada, tensa, abandonada, sabe que vai receber um pé no traseiro sem remissão e deverá dar graças a Deus se lhe sobrar somente isto, pois as provas de que cometeu mais crimes do que o de que é acusada está-se avolumando na Justiça de Curitiba.

  4. Ela, bela, ri aparentemente despreocupada. Ele, barrigudo, careca e feio, atende o celular com expressão de tensão. É que para eles a casa  também caiu.

    Ela, bela, dona de si, ri aparentemente despreocupada. Ele, barrigudo, careca e feio, atende o celular com expressão de tensão. É que para eles a casa também caiu.

    Ela é bonita. Uma verdadeira Miss Nordeste. Mas por detrás de sua beleza ocultava-se uma alma danada e, juntamente com seu marido, Paulo Bernardo, Glaisi Hoffman, Senadora eleita pelo Partidão, na calada das maracutaias levadas a efeito à Sombra da Justiça, roubava dos aposentados e pensionistas, quando estes tomavam empréstimos bancários para aliviar o aperto ao qual desgoverno de sua Madrinha levou o Brasil. E no Senado Federal foi uma ferrenha defensora do bordão que asseverava descaradamente que contra a Madrinha do partidão e o resto de seus pares havia-se realizado um Golpe. Mas o bumerangue do terrorismo político que lançou ao ar com seu marido, o ex-Ministro Paulo Bernardo, retornou. E, agora, ela trinca os dentes e sua frio, pois sabe que já está nos dentes do Moro e ele não é de soltar a presa facilmente.

  5. Todos os personagens acima e mais quase um milhar de outros praticaram o terrorismo político. Por causa deles milhares de vidas de brasileiros (e brasileiras, para obedecer à separatividade que o Partidão e seus êmulos nos impuseram) se perderam, a maioria em atroz agonia. Todos praticaram um terrorismo mil vezes pior do que o dos tresloucados afiliados do tal Estado Islâmico. Não se explodiram. Ao contrário, continuaram rindo à-toa, ricos às custas das vidas do povo brasileiro. E mesmo que sejam “presos” (entre aspas porque a cadeia para eles é apenas um faz-de-conta desagradável), ainda continuarão possuindo milhões às custas das vidas perdidas. No entanto, a angústia de terem suas imagens públicas enlameadas os faz sofrer mais do que o bandido pé-de-chinelo que não tem esse negócio para zelar.
  6. Sim, o Brasil dos dias atuais está cheio de exemplos de como o Terrorismo Político e, por extensão, qualquer que seja ele, é um Bumerangue: sempre retorna para aquele que o lançou no ar… Creio que os mulás e aiatolás e califas e sei lá mais o quê do Estado Islâmico deviam vir aprender como se faz terrorismo eficiente  e se continua a parecer santo.