Eu sorrindo

E vamos que vamos!

Estou assistindo a uma peça bufa mais do que conhecida. Um bando de doidos ladrões foi defenestrado do Poder do Povo Brasileiro. Se alguém pensava que tudo estaria terminado com o varrer a “Doida do Planalto” para longe da nossa Cadeira Quente, enganou-se redondamente. Agora é que o povo bom, o não-doutrinado pelo PT, vai ver com quantos paus se faz uma cangalha. Eles têm uma “força danada” nos redutos dos trabalhadores mais estúpidos do país: os SINDICATOS. Este mal é absolutamente necessário para se frear a ganância desmesurada dos Empresários e seus demônios, os INVESTIDORES. No entanto, já nasceu estragado e se expulsa os velhos corruptos entreguistas, por seu lado também nos trai e nos apunhala pelas costas. Haja vista o que a Polícia Federal vem pondo às claras, contrariando os esperneios dos asseclas do “partidão”. Sim, o Castelo de Ali Babá construído pelos traidores petistas (não falo aqui das massas de manobra, pois o povão é somente isto: massa de manobra. Quando esta massa não mais é necessária, é deixada de lado ou varrida para debaixo do tapete e pronto). Mas como eu dizia, o Castelo de Ali Babá Petista está ruindo lá no Olimpo dos Ladrões de Colarinho Branco. Um horror para Lula, sua família, seus capangas coroados e sua afilhada abilolada. Desde quando João Figueiredo fez sua profecia dizendo que, já que era a vontade do povo, aceitava fazer “disso aí” um partido político, mas advertia que o povo brasileiro ia ter de derramar sangue quando quisesse se livrar deles, desde aqueles tempos proféticos, eu dizia, que Lulaça Cachaça vem batalhando renhidamente para se colocar no pináculo da glória brasileira: a NOSSA Cadeira Quente da Presidência da República. Claro que o homem Luis Inácio da Silva já era o produto LULA criado, doutrinado e hipnotizado por Fidel Castro, logo, já era um traidor enrustido. Quem esperava encontrar nele a salvação do Brasil, que tinha caído nas garras do PSDB e estava indo pro brejo de mala e cuia, enganava-se redondamente.

Muita água correu por debaixo da ponte desde meu último comentário político aqui. Vi pela TV canal fechado e li nas revistas políticas, tudo o que compõe o dramalhão que estamos vivendo. Eu me abstive de escrever a respeito porque o que eu dissesse já estaria sendo abordado a grandes goles pelos jornais e revistas vigilantes da Imprensa Livre. Mas hoje, apoquentado pelo maldito bico de papagaio que me inferniza a coluna vertebral quase me impedindo de andar, de sentar ou mesmo de me deitar, decidi distrair minha mente escrevendo. Não sei se alguém vai ler até o fim, pois a VEJA, a ÉPOCA, a FOLHA DE SÃO PAULO e tantos e tantos outros veículos de comunicação escrita estão abarrotados de “experts” escrevendo artigos inspiradíssimos e bem melhores que meus desabafos. Mas isto não tem importância. Escrever é minha cachaça (desculpe-me o Lulaça e sua afilhada, que adoram a branquinha de verdade). Nada me alheia mais da realidade crua e dura do que viajar através de minha mente. Claro que escrever sobre a polititica nacional brasileira não é um sonho, mas um terrível pesadelo. No entanto, como toda a Nação brasileira eu também vivo mergulhado, querendo ou não, neste pesadelo. Então…

Os Procuradores da tropa de choque de Deltan Dallagnol denunciaram o Lulaça Cachaça. Um Deus nos acuda! Com toda a certeza a comida no “estombo” do Cachaça azedou tão logo ele ouviu a notícia. Certamente correu para seu bunker em São Paulo, mas Okamoto também está no bolo e certamente corria desarvorado em busca de uma saída rápida. Pela esquerda, de preferência. 

No meio do disse-não-disse, muita gente criticou a belíssima apresentação feita para o Brasil e o Mundo por Dallagnol sobre a quadrilha de Lula. A mais acre era a acusação de que só fazia aquilo por exibicionismo e porque deseja ardentemente tirar Lula do páreo em 2018 (Jesus! E não é que os aloprados sem miolos desejam mesmo o desgraçado de novo pisando sobre nossos cangotes?).

Bom, eu oro fervorosamente para que o “peste negra” seja debelado de vez. Em palavras mais diretas, oro para que a PF meta o Lulaça num quartinho, ainda que arrumadinho, para que fique vendo o Sol nascer quadrado pelo menos por três anos. Já está de bom tamanho, considerando que no nosso país as Leis lenientes não permitem que o meliante cumpra todo o período da pena a que foi condenado. Sabemos que nós, brasileiros, gostamos de heróis. Não interessa que seja de pés de barro. Interessa que seja herói. E o Lulaça é o herói dos falsos Socialistas-Democratas. Com ele em cana toda a organização do petismo se desequilibra e cai. Não que vá terminar, pois somos danados de teimosos e entre os polititicas ninguém condena ninguém sem lhe dar uma porta de saída. Vejam o exemplo do que fez o Congresso Nacional com a cassação da Aloprada do PT. Nem preciso comentar. Certamente que os petralhas vão-se reorganizar. Mas vai demorar um bocado para que surja outro herói entre eles. Aqui, no Brasil, rei morto não tem rei posto e viva o rei. Aqui quando o rei é morto, chora-se saudosamente sua perda por um longo tempo de carpimento. Depois… Depois é samba e carnaval e mulher e cachaça e praia e voleibol e sei lá mais o quê. Só então é que se cogita de buscar novo rei para o lugar vazio. A exceção é o futebol. Neste assunto, há reis sobrando por aqui…

A bola da vez é o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. Eu nunca simpatizei com o talzinho, mas nem de longe suspeitava que o MINISTRO DA FAZENDA ESTIVESSE ENVOLVIDO COM A PROPINOCRACIA. Vergonhoso! Espantoso! Arrepiante! Só então é que compreendi a razão de jamais o Ministério da Fazenda ter encurtado o caminho da Lava-a-Jato. Eu me perguntava: “Por que a Fazenda não chamou os ladrões de colarinho branco para explicar como é que enriqueceram subitamente, passando de um patrimônio inicial de mil reais para outro de milhões de reais em menos de cinco anos?” Nunca a Fazenda faria isto, pois o próprio Ministro estava mergulhado até o gogó na roubalheira. Que diabo de país é este que nós construímos?

E agora, a Doida do PT está desfilando pelas ruas das capitais do Brasil encarapitada em carros de som apregoando aos gritos: FORA, TEMER! É o que dá ter sido bonzinho para com a diaba. Se tivessem cassado seus direitos políticos por 8 anos ela estaria quietinha, gozando de nosso dinheirinho suado com todas as mordomias a que nunca nenhum deles fez jus, mas estaria FORA DO PODER que diz-se que é nosso (não sei aonde). Mas deixaram a peste com todos os direitos políticos reservados podendo, até mesmo, voltar a concorrer à Cadeira Quente em 2018. Vai que a diaba ganha de novo! Quem ficará desesperado e correndo atrás de um bunker onde se meter seremos nós, o povo. Mas em que bunker? Nós não temos nenhum!

Ah, sim. Com dó do sofrimento do Guidinho, MORO mandou que o soltassem. Afinal, o distinto bandido estava acompanhando a esposa que se encontrava internada no mais caro hospital do Brasil para uma operação de retirada de tumor maligno ou, no popular mesmo, um câncer. Ora, diz a Constituição que “Todos são iguais perante a Lei”. Imaginemos que em lugar do Ministraço estivesse um bandidão do Rio de Janeiro acompanhando sua esposa numa operação igual. Não no Sírio Libanês, que é território dos de colarinho branco, mas no Souza Aguiar mesmo. Pois bem, será que a ele também seria dispensada a mesma atenção que a P.F. dispensou ao “distinto traidor do Brasil”? D U V I D O ! O bandidão sem colarinho branco seria encanado sem dó nem piedade e sua distinta mulher que levasse a breca. Talvez até saísse da sala de cirurgia com algemas nos pulsos, pra deixar de ser bandida. Essa impunidade é que nos envergonha.

Moro, para mim, escorregou no sabão. Ele tinha de manter o preso aprisionado pelos 5 dias determinados em Lei. Afinal, com ele ou sem ele junto à esposa, se para ela tivesse chegado a hora de subir (ou descer, não sei), não haveria acompanhante nenhum que pudesse impedir o chamamento. Eu sei que o Juiz Moro levou em consideração a delicada situação política em que nos encontramos, graças mesmo aos senhores deputados e senadores que mantiveram os privilégios políticos de uma doida. Mas a Constituição afirma categoricamente: Todos são iguais perante a Lei. Pronto! Não há que considerar se os petralhas iriam se arrepiar como porcos espinhos, pois, como estamos vendo, eles se arrepiaram desde quando o ídolo da petralhada foi denunciado.

Enfim… Vamos que vamos, né não?

Enquanto a petralhada sobe nos cascos e relincha desesperada pelas ruas das capitais brasileiras, os bandidos do PMDB/PSDB/DEM/PP/… tratam de agitar as águas turvas da nossa polititica. Renan sabe que a P.F. vem atrás dele como os alemães vieram atrás do cabeludo brasileiro no jogo dos 7 X 1, na mais vergonhosa Copa do Mundo de Futebol que o Brasil já enfrentou. Pois bem, é preciso jogar poeira ao ar de qualquer modo. E eis que tentam aprovar o perdão para quem praticou o Caixa-2 antes das 10 medidas contra a corrupção que está engasgando todo mundo lá no Olimpo das Maracutaias. Mas um vigilante deu o berro. E aí o filho espúrio foi abortado. Quem é o pai do desgraçadinho? Ninguém sabe. Como se costuma dizer, “filho feio não tem pai”. E nossa polititica tem filhos feios como há diabos no inferno. O abafa-por-enquanto atuou rápido e retirou a idéia maldita da pauta de votações, mas não nos enganemos: ela vai voltar tão sub-repticiamente quanto nesta primeira vez. E sem pai mesmo, que o papai não é besta de botar a cara para levar tabefe.

E é este o cenário que me faz não escrever sobre a porcaria que nos enxovalha. Mas desta vez, revoltado com a dor na coluna vertebral, desabafei. Que se danem!