O que é isto, meu Deus? Que desfile é este que foi fotografado por alguém? Vampiros? Não,. São os Togados que deviam impor a Justiça sobre a letra morta das Leis brasileiras. Mas não o fazem.

O que é isto, meu Deus? Que desfile é este que foi fotografado por alguém? Vampiros? Não. São os Togados que deviam impor a Justiça sobre a letra morta das Leis brasileiras. Mas não o fazem.

Está em todos os jornais. Está em todos os noticiários. Os velhos que conseguiram a tão falada desaposentadoria (ou desaposentação, como falam os paulistas), não somente perderam o direito adquirido em luta para se safar da prensa FHC, que os empurra direto para a mendicância e a morte em total abandono pela Seguridade Social, como perigam ter de devolver o pouco que chegaram a ganhar em dois anos ou um pouco menos. O STF, aqui de par com a grita dos que mais prejudicam o Brasil, os Políticos acoitados nas Casas Legislativas Federais, vai obrigá-los à devolução do que lhes foi dado inicialmente de modo legal, agora tomado de modo sem-vergonha e desumanamente.

E os desavergonhados que se assenhorearam de nosso Poder não fazem o sacrifício de nenhum centavo que imoralmente se deram às nossas custas. Cabe ao povo, e somente ao povo, velho, idoso, adulto, jovem ou adolescente, pagar pelos desmandos e pelas roubalheiras deles e de seus partidos políticos Cadê a cassação do imoral Cartão Corporativo? Ninguém fala, nem mesmo sussurra, sobre isto. Cadê a cassação dos privilégios indecentes que se deram, como os famigerados auxílio moradia, auxílio combustível, auxílio paletó etc…? 

"Aí, palhaços, nós vamos vencer. O Moro é só um incidente sem importância!"

“Aí, palhaços, nós vamos vencer. O Moro é só um incidente sem importância!”

Até a Ministra Carmem Lúcia foi contra o aposentado do INSS. Mas nenhum deles diz qualquer coisa contra a imundície da roubalheira legalizada pelos Políticos que voam gulosamente sobre NOSSO ERÁRIO PÚBLICO.

Revolução? Não, não. Ainda não se levou a sério o desespero manifestado pelos brasileiros nas ruas de suas cidades. Não houve uma revolução contra o Crime Organizado de Colarinho Branco. E, para piorar as coisas, eis que os “comunistinhas de bosta”, os estudantes profissionais que sempre foram mantidos nas nossa Escolas de Segundo e Terceiro Graus, voltaram à ação sob a batuta do PC do B, do PCB e do PT. E o resultado é que retrocedemos a patamares piores dos que vigiam antes dos militares darem um basta à suruba social dos anos 60. Os estudantes de hoje tomam as escolas, fecham-nas aos que querem estudar e, acobertados por Leis incompreensíveis e apátridas, se encastelam nelas para se drogarem e até se matarem sob o efeito das drogas mais esquisitas, que muitos POLITITICAS batalham para que sejam legalizadas. Estamos, sim, num patamar social muito abaixo daquele que estivemos antes de 64.

Creio que é a vingança dos “políticos” contra um povinho de merda que ousou se insurgir contra Suas Insolências. Que ousadia é essa de dar apoio à Polícia Federal e a um juiz doidão, que ousa mandar prender os deuses da corrupção brasileira? Que ousadia é essa de mandar prender soldadinhos de chumbo que trabalham à sorrelfa para safar os lombos luzidios dos senhores polititicas encastelados nas casas que deviam ser dos PODERES DO POVO BRASILEIRO?

NUNCA! Abaixo o Moro! Abaixo a Polícia Federal! Estanquemos a sangria cruel que estes dois abantesmas da Lei e da Brasilidade causam no Olimpo da bandidagem brasileira.

"Ah! Pensavam que eles iriam contra mim? Eu sou o Deus Brasileiro! Ninguém pode comigo, Zés bostas!"

“Ah! Pensavam que eles iriam contra mim? Eu sou o Deus Brasileiro! Ninguém pode comigo, Zés bostas!”

Gilmar Mendes, Celso de Mello, Edson Fachin, Dias Toffoli, Teori Zavaschi são figuraças que sempre agiram na penumbra do Supremo. Nunca o povo brasileiro saberá de que lado eles estão. Da Justiça é que não é. Talvez da Lei, da letra morta da Lei escrita e aprovada por corruptos para o benefício de classes mais do que privilegiadas. Mas não é, com certeza, da Justiça. No entanto, há que se considerar que há muitos lados neste caleidoscópio chamado “encrenca polititica nacional brasileira”.

A grande surpresa e a grande decepção foi o atual posicionamento da mulher que por um átimo nos deu esperança, a Ministra e atual Presidenta do STF – Cármen Lúcia. Ela era a única a quem eu admirava e em quem acreditava. Mas eis que ela subitamente também se coloca contra os “Zé Ninguéns” brasileiros.

E estamos em via de assistirmos, pasmos e indefesos, um aconchegamento dos desentendimentos (se é que houve algum) entre o desesperado patife presidente do Senado, Renan Calheiros, e a quase salvadora da Justiça Brasileira. Que desgraça!

Não. Viver assim não dá. Tem de surgir, de algum lugar, alguém de fibra que, dando braço ao heróico Juiz Sérgio Moro, tome as rédeas do nosso país nas mãos e coloque freios nos desembestados que tomaram o nosso Poder para exercê-lo em favor da patifaria, da enganação, da corrupção e do desavergonhamento nacional.

Mas este salvador da Pátria brasileira tem de surgir agora, já, pra ontem, ou o Brasil vai desaparecer numa tempestade que a História jamais explicará… Se é que alguma memória dele ficará nos Anais do Tempo.