Pastor Evangélico e Político. Duas desgraças para o Brasil em uma só pessoa.

Pastor Evangélico e Político. Duas desgraças para o Brasil em uma só pessoa.

E tudo é responsabilidade da única Classe Social, a denominada Classe Política, que em países sérios não existe, mas aqui viceja como diabos no Inferno. Por exemplo: desde quando o Capeta era menino que os cupins humanos desmatam o Brasil. Deputados Estaduais, Governadores, Prefeitos, Vereadores, todos das áreas mais enfronhadas no seio da Floresta Amazônica, logo, que deviam zelar com a máxima atenção por este tesouro fabuloso, não mexem um dedo sequer para defender algo que só nosso país tem de sobra e com o máximo de beleza: a Floresta Amazônica. Mato Grosso, por exemplo, já está quase na mesma situação de Minas Gerais, onde os morros branquejam sob o sol causticante porque as matas que ali havia sumiram sob o machado e o trator manejados por mãos rústicas de pessoas totalmente ignorantes do Mal que faziam ao Brasil e ao Mundo. Aliás, viajar pelas estradas dos Estados centrais brasileiros é uma decepção e, às vezes, uma agonia. De ambos os lados das estradas o que se vê é arame farpado a perder de vista. Longe, no meio de um capinzal ora verdejante, ora seco e esturricado, cabeças e cabeças de bois. Se a gente para o carro na pista de rolamento (geralmente não há acostamento) para ouvir algum canto de pássaro tem-se a decepção máxima: apenas insetos zumbindo (moscas, geralmente) ou o silêncio esmagador. Uma tristeza. Não há mata. Não há animais selvagens. Não há nada. Nem calango. Gado, capim, arame farpado e pronto. O calor do Sol é sufocante e com freqüência tem-se de viajar quilômetros sem fim antes que se possa encontrar algum lugar para se dessedentar.

Boiadas como esta eram a riqueza das terras piauienses. Hoje, nem sombra de tais bois existe mais.

Bois, bois, bois. Eis a praga que invade, infesta, envenena, desertifica a Amazônia brasileira e nos mata de de calor.

Aliás, a maioria dos políticos do Centro-Oeste brasileiro é constituída por fazendeiros, os que mais têm ganância de terras e mais terras para se espalhar na criação de gado e na plantação de soja. Temos gado bovino para alimentar todo o planeta por um século e poluir a atmosfera, furando a camada de ozônio que nos protege contribuindo para o aumento da canícula sufocante em toda a Terra devido aos flátulos venenosos destes animais; temos soja para alimentar o mundo por mais de um século. Mas o desmatamento continua desenfreado e os políticos silenciam e olham para o outro lado. E gado e mais gado são criados a ponto de termos 4 cabeças de cado para cada brasileiro vivo…

Ele não tinha posses significativas. Mas entrou para a Política e ficou milionário em poucos anos. COMO?

Ele não tinha posses significativas. Mas entrou para a Política e ficou milionário em poucos anos. COMO?

E quando eles não são os fazendeiros antigos, os novos empossados tratam de imediatamente adquirir terras para montar uma fazenda. Aqui, no Centro-Oeste, a vida gira em redor de fazenda. Dá status. Conheço o Prefeito de algumas cidades. Quando ingressaram na Política local não passavam de simples cidadãos que trabalhavam duro como qualquer outro. Mas após a posse, dois anos depois, já eram donos de fazenda. Um milagre que só acontece aqui, no Centro-Oeste. Um exemplo? Evandro Magal. Este homem, com quem trabalhei gratuitamente na Rádio Pousada do Rio Quente, em Caldas Novas, não tinha nada que seu emprego. Foi eleito e, em 2014, enrolou-se com a Justiça, conforme o excerto a seguir, tirado do endereço http://www.badiinho.com.br/index.php/justica-bloquei-bens-de-evandro-magal-psdb-atual-prefeito-de-caldas-novas/: Acolhendo pedido do Ministério Público de Goiás, o juiz Tiago Luiz de Deus Bentes determinou a constrição de bens patrimoniais do prefeito de Caldas Novas, Evando Magal, no valor de R$ 2.115.351,75. Pela medida, os bens imóveis, aeronaves e embarcações do administrador público estão bloqueados, sendo impedida também a transferência de veículos automotores licenciados em seu nome. Leia aqui a decisão.

Visando garantir a efetiva aplicação da medida de indisponibilidade dos imóveis e de eventuais embarcações e aeronaves, o magistrado determinou que se oficie aos cartórios de registro de imóveis e também à Marinha do Brasil e à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) sobre o teor da decisão”. 

Magal se defende, conforme este excerto tirado do mesmo artigo: “Sempre fui um homem trabalhador e com 21 anos de vida pública, ocupando ininterruptamente cargos eletivos, meu imposto de renda é público. Esclareço ainda jamais possuí bens mencionados na decisão judicial, tais como barcos, aeronaves, fazendas ou grandes valores. Aliás, meu patrimônio não chega sequer perto de 2 milhões de reais. Mas em quem acreditar? Aonde terminou este rolo? Vá saber…

O que mais me intriga é: como é que tais pessoas conseguem driblar a fiscalização do I. R.? Num país sério o enriquecimento ilícito de tais senhores seria descoberto de imediato e de imediato punido com rigor. Aqui, o manto do silêncio cobre o milagre criminoso e tudo fica por isto mesmo. O Poder chega com a posse de terras. Que desgraça para a Nação Brasileira.

E em sendo fazendeiro os novos-ricos, graças ao Erário Público, tratam de desmatar e criar gado. Gado que pisoteia o solo rico em olhos d’água e os seca, tornando a terra desertificada e seca. E as plantas medicinais, cujo poder de cura ainda nem foi pesquisado, desaparecem sob o oceano de capim. Com elas, vão-se pássaros e animais de pequeno e grande porte.

ISTO É CRIME. E é CRIME POLÍTICO. Nem só de corrupção com empresas os Políticos Brasileiros se atolam. Eles também se atolam no descaso com o trabalho da defesa das riquezas naturais de nosso país. E quando o povo se revolta, eis que surge um Temer da vida e com artimanhas passa a apresentar planos de recuperação da economia. Planos onde somente o Zé Povão vai trabalhar duro para tampar os rombos que ele e sua Classe levaram a termo nos dinheiros públicos. Sim, o povo, por não saber ainda se unir firmemente contra esta Classe absurda, termina sempre por curvar a cabeça e receber a canga, gostando ou não.

E os Insolências continuam firmes e fortes no Olimpo inalcançável pelo povo brasileiro. Até quando? Só Deus sabe...