GENERAL HUMBERTO DE ALENCAR CASTELO BRANCO1

Cara, você se foi em boa hora. Eu lhe tenho inveja por isto.

Houve um tempo em que eu tinha prazer em escrever aqui. Muitos me liam e disto eu gostava muito. Sonhava que este blog levaria muita informação útil aos brasileiros de todas as idades. Houve dias em que fiquei das sete da manhã às 21 h sentado diante do computador escrevendo. Mas a Polititica Nacional Brasileira afundou o Brasil e o reduziu a um mísero “brasiu”. Tudo se apequenou. A Escola foi esfacelada; a Educação jogada no lixo; os Direitos da Criança e do Adolescente agigantaram a violência contra os pais que, derrotados, abandonaram suas proles e o resultado foi o que aí está: crianças e adolescentes armados e matando ferozmente, sem censura, sem freios, sem limites. Matam, assaltam, estupram e agridem violentamente pais, irmãs, parentes, vizinhos, professoras e qualquer um que ouse se colocar diante deles. É a Liberdade e o Respeito que as absurdas Leis aprovadas sob a orientação do maior Demônio do mundo, o sionismo, determina ao “brasiu” que respeite sob o sacrifício até da dignidade humana.

20170705_134353_HDREu me deparei com um êmulo zumbi, criança de 12 anos, que num acesso de sei lá o quê, implicou comigo. Estava num supermercado fazendo compras quando recebi um chute doloroso na perna. Surpreso, voltei-me para ver quem me chutava e vi a face furiosa, com expressão demoníaca, em um menino de não mais que 12 anos. Eu apenas o olhei, surpreso. E ele novamente me chutou com força. Recebeu um tapa de mão aberta que o jogou longe, contra um monte de latas de leite. Foi um Deus nos acuda! A mãe do diabinho veio furiosa contra mim; um segurança do mercado também. Este, tentou torcer meu braço. Deu-se mal. Com um golpe de aikidô eu o fiz ir se juntar ao moleque que, agora, berrava com voz de soprano enquanto esperneava chutando tudo o que estivesse ao alcance de suas pernas. Aí um PM entrou correndo, cassetete no ar, pronto para me golpear. Eu me preparei para, desta vez, machucar seriamente meu agressor. Eu estava disposto a mandá-lo para o hospital ou para o cemitério. Naquele momento já estava endemoniado. Talvez até meu Exu Tranca Ruas das Almas estivesse incorporado, pois a ira que me assomou não tem palavras que possa descrever. Toda a raiva que trago reprimida em mim contra Vereadores, Deputados, Senadores, Ministros e Presidente da República explodiu ali. Mas, graças a Nossa Senhora da Glória, de quem sou fã ardoroso, atrás do PM maluco veio um sargento de bom-senso que com um grito sustou a agressão do quase-defunto. Ele e eu ficamos frente a frente nos encarando. Ele era um troglodita negro de uns cento e vinte quilos de banha e músculos. Mas isto nada significa diante de artes marciais bem treinadas. E eu sei lutar. E bem. Então, sustentei o olhar de ódio do negão, rezando para que ele realmente tentasse usar seu cassetete, mas o sargento o desarmou com uma frase lógica: “Você não vai agredir um senhor que, parece, tem mais de sessenta anos. Quer responder processo?” O bicho-homem preto desceu o cassetete devagar, sempre me olhando com olhar de cão raivoso com fome. O sargento me pediu explicações sobre o porquê eu agredira o “de menor”. Eu lhe disse a razão do tapa e ele tentou me advertir dizendo que eu tinha infringido o tal ECA. E eu lhe respondi que todos os que batem palmas para esta imoralidade deviam enfiá-la no fiofó, pois justamente devido a essa aberração legal um moleque de doze anos se sente no direito de chutar a perna de um idoso de 76 anos crendo-se impune. O sargento riu um riso leve, disfarçado, deu dois tapinhas em meu ombro e me pediu para “circular”. Dei uma olhada de través para o troglodita preto e fui embora, ainda sentindo uma raiva danada fervendo dentro de mim. Não contra o molequinho. Não contra o negão de cassetete e farda. Mas contra POLÍTICOS. Todos eles. Se a desorganização educacional da juventude brasileira está como está a culpa é desses desgraçados emproados, contra os quais o povão ignorantão não sabe lutar.

Não precisamos de armas; não precisamos de quebra-quebra; não precisamos de molotoves nem nada similar. Não precisamos de passeatas tolas, que já não mais intimidam nem mesmo ao cãozinho peludinho da filhinha do ladrãozão de colarinho branco. 

A PASSEATA DOS VERDE-AMARELOS -1

Isto não faz mais efeito. Os crápulas estão vacinados contra o povo e sua grita inútil.

Não precisamos ir às ruas bater panelas e desfilar feito bobões. Só precisamos nos unir de modo indissolúvel contra os diabos enfatiotados, dedos malditos do sionismo no Brasil. E esta união está em criarmos um Partido Político só nosso, só do povo, não voltado para a eleição de políticos como objetivo-mor, mas sim voltado para seus afiliados. Juntos, estes podem tudo, desde que o número deles aumente a cada dia, a cada semana, a cada mês. Mas quando será que este povinho da cachaça, da prostituição alegre e irresponsável, do carnaval e do futebol violento vai acordar para isto?

MULHER PELADA NO CARNAVAL 4

“Vem pra farra do boi, vem! Enquanto nós nos divertimos no chamego do samba, os polititicas cavam a cova do “brasiu”. Mas que importa? Tem mulata sobrando e carnaval só dura três dias.”

Eu não sei. O brasileiro é indolente por Natureza. É acomodado por Natureza. É preguiçoso por Natureza. É frouxo por Natureza. Não se fazem mais brasileiros como se fazia antigamente, nos pampas gaúchos ou nas caatingas nordestinas. Hoje, as brasileiras parem bebês que já são imbecilizados no maternal. É assim que se destrói um povo; que se afunda uma nação; que se faz fracassar a força de um País. E é assim que este “brasiu” será banido da face da Terra. Graças a Deus,por pouco tempo, a crer no Homem de Nazaré, pois, segundo suas palavras, o fim está próximo. Muito próximo, a se observar os sinais de que Ele falou… Mas enquanto esse final não chega, que tal nós nos concertarmos? Que tal mostrar que esta terra é mesmo de Santa Cruz? É a Terra consagrada á Mãe de um Deus?

Onde está a Religião dita Católica Cristã? Onde as procissões com pessoas realmente de fé? Onde a Igreja junto ao povo, com o povo e, não, restrita a quatro paredes de um templo de pedra? Hoje, quanto maior e mais luxuoso o Templo e maior seja a gritaria histérica dos que se julgam religiosos, mais os que se dizem Pastores das ovelhas do Cristo fazem crer que ali está o verdadeiro poder da fé. Histeria não é fé!

Até onde sei, Ele, o Homem de Nazaré, “não tinha onde repousar sua cabeça”, mas estava ativo diretamente junto ao povo espezinhado, humilhado, explorado, aviltado e desumanizado. Ele, o Rei dos Reis nunca, jamais pediu que se lhe construíssem templos. Nem pobres nem, muito menos, luxuosos. Mas é justamente nisto que o homem atual coloca sua fé. Quanto mais luxuoso e vazio de Deus for o Templo, mais seus regentes gritam que ali está Deus e seu Filho, o Homem de Nazaré. Que mentira deslavada! Que sacanagem contra o único verdadeiramente Homem!

Yehoshua o doutrinador

Manso de coração e sábio nas palavras, Ele não deixava de fustigar os falsos e mentirosos. Quando retornar não trará o cajado do Pastor, mas o látego do Feitor…

Não sei porque razão me deu a louca de voltar a escrever neste blog. Ninguém me lê. E quando escrevo sobre Ele, o único verdadeiramente Homem, aí mesmo é que os filhotes de desvairados se escafedam. Será que temem Aquele que, no final dos tempos, os julgará? Não adianta esta covardia, pois o planeta Terra é um grão de poeira sobre cuja superfície estamos todos presos, irremediavelmente presos. Ele virá, não sei como, nem de que jeito, mas sei que sem trombetas, sem tronos, sem aparição espetaculosa. Ele virá, isto é certo. E cobrará de cada um o ajuste de contas devido para com sua Excelsitude. Ele o fará sem alarde, sem aparições espetaculosas. Como excelente Marechal de Campo, não mostrará a Seus inimigos de onde virá nem quando nem como. Mas chegará e ai dos que tenham contas a ajustar com Sua Justiça. Ai dos brasileiros… Todos, não somente os Polititicas. Todos somos responsáveis pelo que nos acontece. Todos somos responsáveis pela condenação ao inferno dos que hoje são Polititicas danados, pois fugimos à nossa responsabilidade de lutar para os corrigir e os deixamos entregues ao desvario do Crime de Lesa-Pátria.

Pense nisto, você que por acaso por aqui passar…