ORISBVAL BRITO 1

No deserto que é a comunicação entre pessoas, eu pergunto: estou ajudando em alguma coisa a alguém?

Quando coloco no FACEBOOK e pago em dólar estadunidense para que o post seja divulgado, o Face acusa que mais de três mil e trezentas e vinte e oito pessoas leram o post no intervalo de cinco dias. Uma ninharia, visto que quando pago para divulgar críticas acerbas contra a polititicagem nacional, chego a atingir a cifra de quatorze mil, trezentas e quarenta e duas pessoas em dois dias. E haja comentários!  Muitos, chulos. Outros, sem coerência vernacular. Mas, enfim, comentários. Para escrever um artigo como este, tive de estudar cinco anos de Psicologia e praticar por 17 anos a Psicoterapia de Adulto, de Casal e de Grupo Familiar de segunda a segunda. Não foi pouca coisa. No entanto, é frustrante quando verifico o gráfico do WORDPRESS e vejo que ali se acusa a mísera quantidade de cento e dezessete visitantes e cento e oitenta e três visualizações e nenhum comentário, em qualquer dia da semana. Às vezes me sinto pregando no deserto… 

Abatimento

Em algum lugar, em algum dia, alguém pode precisar ler isto aqui e se sentir aliviado. Só por isto já terá valido meu esforço…

Bom, de qualquer modo, vou continuar. Se meu esforço não serve para nada, ao menos me serve para passar o tempo pensando que estou ajudando alguém. Mas vamos lá? A gente vem comentando e ensinando alguns “senões” que interferem poderosamente no relacionamento homem-mulher e afetam o equilíbrio “amoroso” dos pares do casal. Hoje, vamos desencantar um pouco os que nos lerem. Vamos definir o que é “Amor” entre homem e mulher, e o que é “Desejo” entre os dois. Em primeiro lugar devemos saber que apenas algo em torno de 0,001% da humanidade talvez pratique verdadeiramente o Amor. Amor é doação incondicional de si, sem cobrança de contra-partida. Na relação homem-mulher desta atualidade conturbada em que vivemos e onde tudo é mercadoria, nenhum casal pratica verdadeiramente o ato de Amor. O homem dá na medida em que sua mulher lhe “paga” com alguma coisa. Se ele lhe dá atenção, cobra-lhe que permaneça sempre bonita, sorridente, suave, compreensiva, fiel a ele absolutamente e totalmente etc… como era no tempo de namoro (ou ao menos ele pensava que fosse). Se a mulher dá ao homem seu corpo e seus carinhos, cobra dele que lhe proporcione passeios, boa moradia, bom-humor, compreensão incondicional, estar sempre à disposição e participatividade nas lides dilemáticas do viver quotidiano com o mínimo possível de trabalho extra e lhe dedique adoração em todas as horas do dia etc… Em síntese, o casal estrutura sua vida marital no sistema “toma-lá-dá-cá”.  Note que  este sistema não é apanágio apenas dos políticos, como se tende a acreditar. Ele é a base das relações humanas nesta atualidade mecadológica. Ninguém dá nada de graça, o que, já de saída, vai contra a prática do Amor. Este não pede nada. Doa tudo de si. Ao escrever estes artigos eu estou praticando o Amor. Estou doando anos e anos de estudo e aprendizagem a alguém em algum lugar deste Brasil e do Mundo (visto que, segundo o WordPress, sou lido nos cinco continentes) sem cobrar nada por isto. Apenas esperando que alguém me diga, de coração e como incentivo: “valeu, cara”!

PASTOR DA SEITA SARA NOSSA TERRA

Até Deus virou mercadoria para o sistema mercadológico…

Voltando à vaca fria, é muito pouco o percentual dos que verdadeiramente praticam o Amor. O que realmente põe a humanidade para a frente, de um modo capenga e muito, mas muito sofrido mesmo, é o DESEJO. E o Mercado já descobriu isto faz séculos! Estimular o Desejo é colocar a roda do consumismo em ação, por isto, atualmente, tudo, absolutamente tudo, virou mercadoria. Sua dor, seu corpo, seu desespero, sua pobreza, seus desvios comportamentais, seu sofrimento, sua morte, sua boa-vida, seu viver para e pelo lazer… Tudo é vendido. Sua mãe, seu pai, sua irmã, seu irmão, sua igreja, sua religião, sua integridade moral, sua convicção política, sua identidade, seus documentos, seu poder de compra, sua condição de bom ou mau pagador… Tudo é negociável, manipulável e fator de lucro para alguém ou alguma organização. Acho que ainda só não se conseguiu vender o Espírito Imortal de alguém, mas a continuar como vai ele que se cuide…

O MENDIGO 1

Mendigo. O Brasil está regurgitando gente nestas condições. Tanto de brasileiros quanto de venezuelanos, de haitianos, de moçambiquenhos etc… As pessoas se condoem por um minutinho escasso daquele que está neste estado angustiante. Mas só um minutinho…

Se os pares de um casal da atualidade prestar atenção, mesmo nas coisas mais banais eles trocam favores. Dou isto, mas quero aquilo porque eu mereço. As pessoas pensam que dar esmola em dinheiro é realizar o ato de Amor. Não, não é. Na verdade dar dinheiro a alguém que necessita desesperadamente de comida, de abrigo, de comprar um remédio etc… é um ato de humilhação. Do mesmo modo, quando se dá atenção a alguém que é mesquinho intimamente o que se faz é exasperar a raiva surda que aquele que recebe este ato de bondade guarda em seu íntimo profundo. Com muita freqüência a gente encontra casais em que um dos dois é odioso e não sabe disto. Eu costumo dizer que tais indivíduos, na vida a dois, são sempre o Cristo dependurado na cruz. Eles agem de modo a ferir o outro em seus sentimentos, mas quando este outro reclama ou se irrita, imediatamente o odioso se dependura na cruz da família. É aquele que tudo faz e não recebe nada em troca; é aquele que tudo dá de bom coração e só recebe ingratidão… E vai por aí. São pessoas doentes. São Mogkull, o Vampiro da Saga que estou escrevendo e já está prestes a ir para as livrarias, que ataca sempre à noite, isto é, quando o outro está sem guarda ou com ela abaixada.

 

Questões mesquinhas, religiosas e políticas, levaram-no para a Cruz. Era necessário para sua progressão celestial. Ele não se deixou crucificar para redimir nossos pecados. Isto é uma grande balela.

A pior companhia na relação marital é o Cristo Crucificado. Não o verdadeiro, mas o falso. Aquele que está o dia todo ao nosso lado, quer fisicamente, quer em nossa lembrança angustiada.

A pior companhia em um casamento é o Cristo Crucificado. Não Aquele real, que passou por aqui e jamais foi visto ou compreendido. Falo dos bilhões de cristos que vivem hoje, agora mesmo, entre nós, humanos. Falo das pessoas, homens ou mulheres, que infernizam a vida a dois de modo sub-reptício, escorregadio, insidioso; que provoca raiva e frustração no parceiro constantemente e perenemente. Falo daqueles que, por serem maus e doentes em suas Identidades, levam o outro a reagir com violência física porque atingiu um grau de exasperação insuportável. Geralmente estes “violentos”, quando questionados sobre a razão pela qual foram tão violentos contra alguém tão frágil como a companheira, por exemplo, não conseguem dizer como é que foi espicaçado até o desespero. Por que? Por que Mogkull, o vampiro de todos nós, não ataca de frente. Ele arma situações em que sempre levará vantagem e a responsabilidade pela sua ação má sempre vai recair no outro. Onde este monstro se esconde? Na Identidade (ou Personalidade) de cada um de nós. 

Quando um homem e uma mulher decidem se juntar sob um mesmo teto toda a sua estrutura doentia, trabalhada desde mesmo quando ainda era feto pelo sistema cruel do Mercado, põe-se em ação. Eles vão adoecer um ao outro e vão precisar de médicos e remédios. O Mercado agradece. Eles vão se desesperar e tentar todos os meios oferecidos pelo Mercado para aliviar a tensão constante e vão precisar de psicólogos ou psiquiatras ou de tratamento alternativo e o Mercado agradece. Eles vão buscar o consolo de um pastor espertalhão, que lhes vai impor antes de tudo o pagamento do dízimo, senão Deus não atenderá seus rogos. E o Mercado agradece. Se têm dinheiro, vão viajar, visitar cassinos em Las Vegas, passear nos lugares mais exóticos da Terra sem perceber que em seu próprio país há de tudo isto sobrando. Mas o Mercado agradece, sim senhor.

O caminho não é este. O caminho está dentro de cada um e sua fórmula é simples: saia do mundo sem sair do mundo. O que quero dizer com isto? Usufrua do mundo apenas e somente apenas aquilo de que realmente você necessita. Não deseje além do que pode ter. Conforme-se com o que tem e se sinta feliz com o que tem. Aprenda a gostar, a amar as coisas simples. Aprenda a cultivar a terra; a limpar uma praça sem reclamar de sua vizinhança; a varrer a rua diante de sua casa sem reclamar da desídia política, pois sua reclamação nunca chegará aos políticos. Ela só afetará a você mesmo. Aprenda a não frequentar ambientes perigosos em busca de algo que você nem mesmo sabe definir. Evite as noitadas e preserve sua noite para seu descanso. Viva com simplicidade e se conforme com o que tem, pois todos temos de sobra tudo o de que necessitamos verdadeiramente. Necessitamos da Luz do Sol para termos a Vitamina D, importantíssima para nosso organismo e nosso bem-estar emocional. A vitamina D é indispensável para o equilíbrio de diferentes órgãos e funções do nosso corpo. Ela é a responsável por regular a absorção de cálcio e fósforo pelo nosso organismo; ela mantêm o cérebro funcionando azeitadamente, sem nos dar trabalho nenhum por anos e anos a fio. Além disto, a Vitamina D fortifica nossos ossos, nossos dentes e nossos músculos – inclusive o coração. E quem nos dá a vitamina D gratuitamente por séculos e séculos de existência deste mundo em que vivemos, não nos cobra um centavo por isto. No entanto, levou eons e eons de trabalho árduo para criar a fonte da Luz capaz de estimular o corpo à absorção desta vitamina tão importante para nossa vida sadia. Note que EON é uma medida de tempo que de tão grande não tem um número definido para ele. Então, seja uma imitação d’Aquele Ser Incognoscível e Todo Poderoso e também doe Amor sem se preocupar com o que o outro fará com sua doação. O seu trabalho é doar. O trabalho dele é saber usar esta doação em benefício de si e da relação.  Não exija do outro que lhe dê nada, mas dê a ele tudo o que você pode dar sem se ferir. Lembre-se: a Felicidade está onde nós a pomos. Então, ponha a sua Felicidade na sua ação mesma; naquilo que você faz sem se incomodar se vai agradar ou desagradar a alguém. Nunca a coloque no seu Desejo de Prazer. Do mesmo modo, receba o que o outro lhe pode dar sem cobrar que ele lhe dê mais do que pode. Se ele lhe dá mesquinhez, aceite-a com indiferença. Jogue-a em algum lugar qualquer, em um canto qualquer de sua casa e viva sua vida contente e feliz. Mais que isto: retribua com um pouco da riqueza que você possui. Que aquele que só tem para dar mesquinharia, fique com ela ou veja que ela não feriu a quem não devia ferir. Isto já será um presente e tanto ao mesquinho. 

Um bom Psicólogo não perde tempo analisando a rebimboca da parafuseta na vida de seu cliente. Um bom Psicólogo ensina ao seu cliente a VIVER CONSIGO MESMO. Este é o segredo da Psicoterapia. O si mesmo de alguém é sua casa íntima. E ninguém vive numa casa que percebe suja, imunda. Então, volte-se para sua casa e quando fizer isto você a limpará com denodo, pois ninguém gosta ou consegue viver numa casa imunda, escura e fétida. Assim, você pode ser seu próprio psicólogo, basta que tenha dominado a arte de exercer sua Vontade. A Vontade tem várias facetas. Você tem a Vontade Força, tem a Vontade Persistência, tem a Vontade Tenacidade, tem a Vontade Perseverança, tem a Vontade Coragem… Você, como qualquer um de nós, tem todas estas qualidades do Atributo Espiritual VONTADE. Então, use isto em seu proveito.

E seja feliz. 

FIM.