Ele veio, ensinou muito sobre a Verdadeira Realidade. Seus ensinamentos foram desfigurados e gravados em um livro que não convence, a Bíblia. No entanto, o pouco que restou de seus belos discursos poderia dar material para os incréus pensar sobre si mesmos…

Fiz esta pergunta no primeiro post e muitos não entenderam ou me deram respostas quer infantis, tolas, teleguiadas por intenso condicionamento pastoral, ou me deram respostas que mostraram total desconhecimento sobre os Mistérios do Universo, inclusive deste que cada um de nós é. Tolo, muito tolo é aquele que pensa que TUDO se resume ao que seus pobres cinco sentidos podem-lhe informar.

Bom, vamos recordar um pouquinho daquilo que Ele disse:

1. “Quando derdes esmola, que vossa mão esquerda não saiba o que fez a direita. Assim, a vossa esmola far-se-á em segredo; e vosso Pai, que vê o que tendes escondido em vosso coração, recompensar-vos-á conforme seja vosso merecimento”.

Preste atenção neste trecho de uma de Suas falas. Agora, pergunto: Quando foi que você, leitor, procedeu assim? E o que você entende por “esmola”? Você já deu uma esmola a quem lhe pediu? Com qual sentimento no coração você fez isto?


2. “Quando orardes, não façais como os hipócritas, que gostam de orar de pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade em verdade eu vos digo: estes já receberam seu galardão[1].

Você costuma orar? Como é que você ora? Onde você ora? Por que você ora? Você costuma pedir alguma coisa ao Seu Criador em troca de sua Oração? Por que? Quando você pede algo, recorda-se de que Ele disse: “E ser-vos-á dado conforme vosso merecimento”? Ao pedir, você tem plena consciência de que realmente merece o que pede? Como?

Esta parte de Sua fala foi diretamente dirigida a todos os religiosos daquela época e da época atual, quando pululam igrejas suntuosas para “adoração ao Senhor”. Pense: ao dizer o que disse, Ele condenava o que sabia que o homem faria e, em fazendo, degradaria o verdadeiro Espírito Religioso humano e, com isto, afastaria definitivamente Deus de Sua Criação: o Homem. Você costuma orar aos gritos de “Senhor! Senhor!” ou de “Hosanas ao Filho de Deus!” Se costuma, por que faz isto, se Ele condenou tal comportamento?


3. Quando quiserdes orar, entrai no vosso quarto, fechai a vossa porta e orai ao vosso Pai em segredo; e Ele, que vê vossos segredos, recompensar-vos-á conforme seja vosso merecimento.

O que você entende quando lê esta orientação de ouro que Yehoshua deixou como diretriz para todos os seres humanos? A que quarto e a que porta Ele, o Rei dos Reis, se referiu, você sabe? Se sabe, quando se dispõe a orar, você realmente entra em seu quarto, fecha sua porta e ora em silêncio ao seu Pai Celestial? Em sua oração você pede a Ele algum benefício? Por que? Não disse Ele que lhe será dado conforme seu merecimento? Então, por que você lhe pede alguma coisa?


4. Nas vossas orações, não multipliqueis as palavras, como fazem os pagãos que julgam que serão ouvidos à força delas. Pedi com simplicidade e agradecei com todo vosso sentimento, eis que estareis diante d’Aquele que tudo pode para vós.

O que Yehoshua quis dizer com a sentença: “nas vossas orações, não multipliqueis as palavras como fazem os pagãos…”? Você costuma assistir aos histéricos ‘pastores’ que diante das câmeras de suas ricas Empresas de Televisão oram aos brados, como se Deus fosse surdo? Já prestou atenção que eles dão a impressão de que ordenam a Deus que o obedeça, embora façam isto aos gritos de “Senhor!”? O que você já pensou sobre esta pantomima insultuosa ao Verdadeiro Pai Celestial? Os “pastores” agradecem às supostas dádivas recebidas cobrando dízimo de todos os que dentro daquele templo vetusto se encontram. Você acha isto correto? Por que?

5. Não oreis em grandes ambientes e com grandes ruídos de vozes. Não são gritos nem cânticos que tocarão Vosso Divino Pai, senão que vossas boas ações e vosso arrependimento sincero do que tiverdes consciência de que foram ações más para convosco, para com vossos irmãos ou para com a Criação. Não os imiteis, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes que vós lho peçais.

Você já parou para meditar sobre esta sentença do Filho do Homem? Já percebeu todo o seu alcance através dos tempos? Já notou que o que se criou em matéria de religião foge totalmente a esta orientação do Divino Mestre?
Como oram os que se dizem cristãos de qualquer tipo de seita que são abrangidas por esta denominação?
Em grupos; em templos suntuosos; com falsas expressões de contrição ou, pior, com histeria coletiva e lágrimas de descontrole emocional sem qualquer valor. Você acha que tudo isto tem algum valor diante d!Aquele que veio para consertar a Lei?

Repito a pergunta: VOCÊ SE CONSIDERA SALVO?