LEI 12.605/2012 FOI MAL-REDIGIDA E, POR ISTO, MALHADA PELOS PSEUDO-GRAMÁTICOS

Deixe um comentário

"Eu sou PRESIDENTA, gostem ou não os paulistanos; gostem ou não os pseudo-gramáticos!"

“Eu sou PRESIDENTA, gostem ou não os paulistanos; gostem ou não os pseudo-gramáticos!”

Esta Lei manda , em seu artigo 1º, que: “As instituições de ensino públicas e privadas expedirão diplomas e certificados com a flexão de gênero correspondente ao sexo da pessoa diplomada, ao designar a profissão e o grau obtido. Dilma Rousseff tinha a intenção de não ser “masculinizada” através do gênero referente ao Cargo Público que passou a ocupar quando foi eleita PRESIDENTA do Brasil. Mas, até mesmo por desconhecer a língua portuguesa, quem redigiu o artigo não levou em consideração que, na Gramática mesma, nem todas as profissões contêm a flexão de gênero na designação dos que ocupam os trabalhos afins. Por exemplo: tenente é um designativo de patente da profissão de militar que usado tanto para homem quanto para mulher. A mesma coisa para Coronel; porém há o feminino para Capitão, que é Capitã. O feminino PRESIDENTA consta de nosso vernáculo desde Camões. Por isto é que os ditos eruditos em Gramática Portuguesa (eu não o sou), se rebelaram e foram às televisões malhar em ferro frio: negaram a ocorrência do feminino para o substantivo PRESIDENTE, embora em todos os dicionários tal flexão exista. Podem procurar nos mais antigos que lá encontrarão o feminino PRESIDENTA para o masculino PRESIDENTE. E os repórteres (masculinos e femininos) da Rede Globo fincaram pé e só chamam à pobre Aloprada de PRESIDENTE, ainda que ela tenha feito aprovar uma Lei que determina seja chamada de PRESIDENTA. Mais

INOVANDO NOSSO IDIOMA, DE CONFORMIDADE COM OS SENHORES POLITITICAS

Deixe um comentário

"Luiz Vaz de Camões, poeta português, enxerga mais por um olho que os outros pelos três".

“Ainda bem que já morri faz séculos. Eu não agüentaria isto, pode crer”.

Elex xegaram cedo. Maix ou menox ax 10 horax. Felício vinha agitado e parecia anciozo. Vera, não. Ela estava alegre e seu sorrizo impregnava o ambiente. Eu tinha passado a noite no sufoco. A temperatura aqui anda queimando, durante o dia. À noite, a cekura no ar chega até 12 % da umidade natural. Isto receka a pele e ela arde e koça muito. Além deste incômodo, o brilho da luz solar receka os olhox e elex ficam como si estivecem com areia, o que incomoda demaix. Como sI não bastace, o muco seka nox ossox da face, o nariz entope e quando a gente forsa a limpeza com um espirro criado, sai muco resekado, melequento, com catarro grosso e laivux de sangue. Depoix, imediatamente depoix, vem uma pequena dor de cabeça, mas a respiração alivia um pouco. Nox pulmõex a gente sente que há catarro, mas ele não sai faça o que se fizer. Mais

E TOME PAULISTANÊS…

Deixe um comentário

Tem muita gente boa que, quando abre a boca, fica parecida com a Madame Mim...

Tem muita gente boa que, quando abre a boca, fica parecida com a Madame Mim…

Assisto sempre, preferencialmente, dois canais na TV fechada. Um, o AXN e o outro, o HBO. Fora estes  canais, vejo esporadicamente outros, pois a maioria repete sempre os mesmos filmes. Pois bem, no AXN há uma propaganda “PAULISTANESA” que é um arraso. Um velho, que não entende bulhufas de teatro, aparece nervoso atrás de uma mesa cheia de papel. Ele mexe rapidamente nos papéis, joga-os para todo lado e exclama sem qualquer inflexão teatral: “Preciso um descanso!”. Fico irritado toda vez que ouço o velhote dizer esta burrice. Mas vamos à segunda pedrada “paulistanesa” em nosso idioma. O goiano, talvez pela proximidade entre os Estados, é baba-ovo de paulista. Assim, tudo o que paulista diz, ele assimila e repete de peito cheio. E é estranho, pois comprovei que as escolas secundaristas daqui são muito boas. Mas vamos lá. A Organização das Voluntárias de Goiás – OVG é o Cabide de emprego para apadrinhados políticos. Está chegando a época de eleições e não admira que tenham criado uma nova função para as “aspones” privilegiadas. E a senhorita “aspone” recém-empossada deu uma entrevista à TV local. Como toda e todo aspone que se preza, a pestinha não sabe nada de português e lascou esta: “Bom, para a concessão das bolsas pela OVG nós vamos verificar os documentos do aluno e verificar se ele não reprovou no ano passado”. Hummm!!! Doeu… Estou dentro do metrô de superfície e leio na TV diante de mim: “Trate bem todos que ama”. É paulistanês pra todo gosto, arre diabo! Às vezes fico em dúvida quanto a se realmente estou vivendo naquele Brasil onde fui educado…

Onde estão os descalabros gramaticais nas três orações acima citadas? a) Preciso um descanso; b) … e verificar se ele não REPROVOU no ano passado; c) Trate bem todos que ama. Mais

TÔ KA MAKAKA

Deixe um comentário

Ele era tão rígido com o idioma que chegou a dispensar uma repórter que o entrevistava porque ela, paulista, só falava asneira. Quem era ele? O Presidente Jânio Quadros.

Ele era tão rígido com o idioma que chegou a dispensar uma repórter que o entrevistava porque ela, paulista, só falava asneira. Quem era ele? O Presidente Jânio Quadros.

Não estranhe não que eu ‘tô falando “paulistanês”. Todo dia de manhã tomo minha dose de veneno. É quando vejo o BOM-DIA BRASIL. Ouço cada burrada gramatical que dá nó nas tripas. Hoje, uma mulata que pensa que é bonita e, por isto, está sempre lá na telinha, lascou esta:  A escola, CREDENCIADA AO DETRAN…” Êta, pai d’égua! Saravá todos os santos do Candomblé! Acuda-me São Camões que o bicho tá solto!

Ô, idiota! Jumenta! Anta desbatizada paulistana! Cretina! Burra! Credenciar quer dizer habilitar; candidatar; capacitar. O verbo tem regência prepositiva com em,  e per+o (pelo). Assim, diz-se CREDENCIADO PELO DETRAN  ou CREDENCIADO NO DETRAN. Mas só uma anta batizada burrona paulista diz CREDENCIADA AO. 

Ontem, a mesma cidadã lascou estoutra: “CINCO DELAS estavam na rua”. Uma pérola de paulistanês, né não? Se seu ouvido já está assaz corrompido, então vou passar o espanador gramatical nele. HÁ UMA BAITA CACOFONIA nesta oração, ô sujeito! Coisas como CINCO DELAS; CASA DELAS; TAPA NELAS; PERFEITA DELAS e outras asneiras inomináveis que aparecem todo dia na REDE BOBO DE TELEVISÃO não deviam ser pronunciadas por quem tem o dever de falar corretamente. Não é à-toa que as Câmara de Deputados e Vereadores do Brasil estão entupidas de burraldos que, quando abrem as bocas, só dizem asneiras.

E TOME GLOBO!

Mais

SERÁ VERDADE? ELE VAI PRA CANA???

2 Comentários

Eu quero é ver! Quero ver quem vai me meter atrás das grades. Tô pagando pra ver, tá ligado?"

Eu quero é ver! Quero ver quem vai me meter atrás das grades. Tô pagando pra ver, tá ligado? E vou lá devolver dinheiro coisa nenhuma. Só se o Lula devolver o que o filho dele levou.”

Sujou. José Dirceu ameaçado pela Justiça? MAS COMO? O homem não é intocável???

Parece que não. Leio na VEJA que “A Justiça Federal de Brasília abriu um processo de improbidade administrativa contra o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu para que sejam devolvidos os valores desviados no mensalão. O dinheiro foi distribuído a parlamentares do PMDB, PT, PR, PTB e PP para que o Congresso apoiasse o governo de Lula. Segundo informações divulgadas neste sábado pelo jornal Folha de S. Paulo, também responderão ao processo outras 20 pessoas, incluindo o deputado federal José Genoino e Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT (VEJA 08/06/2013).” Que massa!!! E se se cumprir a Lei à risca, eles terão de devolver uma quantia em multa três vezes superior à que roubaram! Me belisca que devo estar com pesadelo. Um bom pesadelo, mas é pesadelo.

Zezão Danadão Ladrão dificilmente irá pra detrás das grades, gente. Ele já faz parte da História do Brasil como herói nacional, ao lado da Vovozona e de seu padrinho, o tolo ex-barbudão. Vocês leram a biografia do filho do caolho? Não??? Menino, compra o livro. Você vai cair de cara no chão. Não há livro de ficção que supere a vida de malandragem do bandidão do PT. O cara é O CARA. É do cara… Mais

ATENÇÃO ÀS NOTÍCIAS DA GLOBO

Deixe um comentário

E o Poder está cheio deles... Ou não?

“Está aberta a temporada de estágio”, diz a repórter da Globo, “mas as empresas não conseguem preencher as vagas. Falta mão-de-obra qualificada”. Semana passada a notícia era que as empresas estavam com milhares de vagas, mas não conseguiam mão-de-obra qualificada para preenchê-las. Já se pensa até em importar mão-de-obra do exterior. O que os repórteres da Globo estão querendo transmitir com estas notícias alarmantes? Bom, que há alguma mensagem oculta, há. Mas vamos deixar as segundas intenções globais e vamos relembrar um passado recente do Brasil. Quando os militares assumiram o Poder, o Brasil não tinha mão-de-obra qualificada nas tecnologias que, naquela época, eram de ponta – ao menos para o Brasil. Foi o caso, por exemplo, da Engenharia de Telecomunicações ou da Engenharia de Petróleo. Nem por isto se pensou em ir buscar mão-de-obra estrangeira. Como as empresas da época solucionaram o problema? Elas pagaram a especialização de que precisavam. Até para o exterior eram mandados empregados de empresas brasileiras para aprendizagem e aperfeiçoamento dos conhecimentos necessários. Se compararmos a situação do pensar empresarial de anos atrás com o pensar atual, vemos que as empresas globalizadas querem que a pessoa se aperfeiçoe às próprias expensas. Não querem investir um único centavo no treinamento e no aperfeiçoamento da mão-de-obra. Contratar neófitos na profissão, pagar pelos seus estudos e correr o risco de a concorrente tomar o empregado pronto? Nem pensar! Mas acontece que este risco é desde sempre e em qualquer país do mundo. É a famosa concorrência e a tão cantada competição de mercado. Por que estranhar? Além de pagar um salário aviltante – R$ 5.000,00 para engenheiros formados – há a usura quanto ao treinamento de pessoal, imposta pela filosofia neoliberalista do Lucro absoluto e voraz. E eu pergunto: haverá engenheiro civil, de petróleo, de construção, de computação etc… no exterior que deseje vir para o Brasil para ganhar miseráveis R$ 5.000,00 por mês? Duvido! Então, que negócio é esse de importar mão-de-obra estrangeira? Para tanto, a indústria interna terá de desembolsar salários polpudos. Por que pagar tais remunerações a estrangeiros, quando se pode perfeitamente investir no empregado brasileiro?

Mais

CACETADAS NO PORTUGUÊS…

Deixe um comentário

  1. Brito Júnior 09:10 h – dia 8/12/2008: cinco delas (cu-delas). Fede, né? Além disto, um único cu para várias pessoas é um drama horrível.
  2. Evaristo Costa; 13:40 h – dia 8/12/2008: “receita dela” (tadela). Não é algo que se conheça, mas dói no português.
  3. Sandra Anemberg; 13:30h – dia 10/12/2008: “…que CUPIAM…” (Gente, cu pia? Eu nunca ouvi. Já ouvi cu peidar, bufar, se borrar etc… mas piar? Só o da paulistana aí [é paulistana porque fala o paulistanês. Quem fala este dialeto é paulistano, mesmo que  tenha nascido no Piauí, o estado mais esquecido do Brasil, né pulíticos?]. Aliás, ela erra também na concordância. Devia ter dito “…que cus-piam”, mas, aí, teria mudado o sentido do que desejava dizer… Raios, este tal de português é mesmo chato. O bom é falar inglês, né?)
  4. Evaristo Costa; 12:34h – dia 10/12/2008: “QUI tipos de reclamações…” (Que negócio é esse? QUI? Ah! Captei! Parabéns, Evaristo. Você ressuscitou o “QUI” latino. Talvez nem se recorde, mas existiu o famoso “qui, quae, quod”. Acho que não foi de seu tempo de estudante… Aliás, você não foi criativo porque é comum no paulistanês ressuscitar arcaísmos como é o caso do famoso e disseminado particípio passado arcaico do verbo pegar: PÊGO. Há pouco tempo os gramáticos diziam que “pêgo era o marido da pêga”. Mas a força do paulistanês apoiada pela ignorância da TV brasileira venceu e todo mundo voltou ao século XVIII).

Older Entries