MANIFESTO DO PARTIDO BRASIL DA ORDEM E DO PROGRESSO.

Deixe um comentário

"Ama com Fé e Orgulho a Terra em que nasceste; criança, não verás nenhum país como este..."

“Ama com Fé e Orgulho a Terra em que nasceste; criança, não verás nenhum país como este…”

https://youtu.be/eO3oAmj3yBo

Ouça com atenção e leia com mais atenção ainda.

MANIFESTO DE CRIAÇÃO DO PARTIDO BRASIL DA ORDEM E DO PROGRESSO

GOIÂNIA – GO

Nosso Lema: Ordem e Progresso.

Nossa Diretriz Fundamental: “Todos são iguais perante a Lei, inclusive os Políticos”.

Nossa Luta: Pela Justiça; Pela Verdade; Pela Honestidade e pela Liberdade com limites democráticos, sociais, familiares e, acima de tudo, nas manifestações individuais ou coletivas, e CONTRA A IMPUNIDADE.

 Nossa Base de Luta: Um Brasil livre de corrupção, de corruptores e sem criminalidade de qualquer espécie.

MANIFESTO AO POVO BRASILEIRO

cela-de-cadeia-brasileira

Resultado macabro da desídia dos Poderes Públicos para com nossa gente.

O povo brasileiro continua frustrado e abandonado pelos Poderes Constituídos. Desde mesmo o pós-militarismo de 1964 que nada mudou no Sistema Político de nosso país. A distância entre povo eleitor, Políticos eleitos e seus respectivos Partidos é tão grande que o Gran Canyon dos EUA se torna ínfimo perante ela. A autodenominada “Classe Política” se isolou, se encastelou no Poder e passou a acreditar que o Brasil é dela e somente dela. Que pode fazer o que quiser impunemente e sem consideração qualquer pela Nação Brasileira. Por sua vez, pressionados pelos Partidos Políticos através dos quais se elegeram, os Políticos cometem os mais baixos e vis crimes de lesa-pátria, e quando pegados em flagrante esperneiam e apelam para os mais criminosos e execrandos jogos políticos para se safar da Lei, vergonhosamente, no momento atual, contando com o apoio insultuoso de Membros do Supremo Tribunal Federal. A Lei, por sua vez, está caduca em todos os sentidos. Não temos mais Lei que seja respeitada em nosso País. Tudo é flexibilizado de conformidade com as necessidades execrandas dos Partidos e de seus Eleitos. Agora mesmo vemos o Presidente Tampão Michel Temer, do PSDB, pegado em gritante flagra de crime de lesa-pátria, usando dos mais imorais e vis meios para se safar da Justiça. Compra deputados com distribuição de verbas para Emendas Parlamentares que eles podem gastar como quiserem sem ter a obrigação de prestar contas sobre a utilidade pública de tais gastos. Além disto, entrega Ministérios e Cargos Públicos a Partidos Políticos na cara dos brasileiros que, impotentes, assistem apáticos a mais este crime inominável daqueles criminosos que constituem a imoral CLASSE POLÍTICA, coisa que só existe no nosso país. É a prática desavergonhada do criminoso e execrando TOMA-LÁ-DÁ-CÁ. E na calada da noite um assecla seu é flagrado correndo com uma mala de dinheiro, R$ 500.000,00, a primeira parcela de uma aposentadoria criminosa e vergonhosa, senão insultuosa, para o quadrilheiro-mor desta atualidade, o Presidente da República.

As verbas recebidas pela venda das consciências dos políticos corruptos significa que aquelas verbas, retiradas de nosso Erário Público à vontade pelo Presidente, foram repartidas entre os Partidos Políticos e os seus representantes no Legislativo e gastos em eventos midiáticos ou trabalhos específicos com fins eleitoreiros, como promover “rallys” de motos, por exemplo. O Município pode estar necessitando de rede de esgotos, ou de conserto de escolas, ou de ruas pavimentadas, ou de postos de saúde, mas o dinheiro da emenda parlamentar é gasto pelo Partido Político e seu representante no Poder com eventos puramente midiáticos e, não, de utilidade pública como devia. E em imoral escárnio ao eleitor, qualquer benfeitoria levada a efeito por um governante, principalmente se se trata de Prefeito, como a retirada de entulhos ou a coleta de lixo público ou a limpeza de um logradouro público, o Partido Político e o Político mesmo envolvido no trabalho colocam faixas onde é dita que “O POVO AGRADECE AO PREFEITO FULANO DE TAL OU AO VEREADOR SICRANO A BENFEITORIA X”, como se executar o trabalho para o qual foram eles eleitos fosse um favor aos eleitores. Uma inversão de valor totalmente absurda e insultuosa.

LULA DESCABELADO

“É mentira! É mentira! É mentira! Vou gritar até cair: é mentira! Sou a alma mais honesta deste país!” Caradurismo maior que este não há.

Nós tivemos no Nosso Poder Central, eleito para nos representar e administrar nosso Tesouro Público, o ex-Presidente Luís Inácio “Lula” da Silva, do Partido dos Trabalhadores, PT. Mas ele meteu os pés pelas mãos e montou um sistema de assalto a tudo o que implicasse fonte de dinheiro público e o fez em tão grande escala que simplesmente afundou o Brasil. Como se não bastasse, Lula desperdiçou bilhões de nosso dinheiro em benfeitorias em países estrangeiros, obras levadas a efeito por empresas corruptoras, como a Odebrecht e outras, de cujos contratos tanto o PT quanto o próprio Lula auferiram enormes propinas que os tornaram imensamente ricos. Este dinheiro jamais retornará ao nosso Erário, ao nosso Tesouro. Está perdido para sempre. Embora se dissesse ser um Governo do Povo e para o Povo, o que Lula fez foi lançar brasileiros contra brasileiros, usando a deletéria filosofia comunista arcaica do “nós contra eles”. Deste mal vamos demorar muito a nos livrarmos.

dilma-rousseff-2

Ela terminou de afundar o Brasil e vive nababescamente às custas de nosso suor. Como isto é possível?

E continuando a ação predatória dos eleitos pelo PT, tivemos a ex-Presidenta Dilma Rousseff que foi cassada, mas antes, terminou o desmantelo de nossa Política Pública. No entanto, nada melhorou com a saída destes dois políticos traidores do Brasil. Michel Temer, que substituiu em mandato tampão à Presidenta Dilma, está agindo pior, muito pior, contra o povo brasileiro. Suas Reformas são imorais, acintosas às liberdades dos cidadãos produtivos e um retrocesso de séculos nos direitos humanos e na defesa do Brasil. Satisfazem às Oligarquias Empresariais e Industriais, mas esmagam o empregado com mão de ferro. E tudo para repor o dinheiro que a “classe política” e seus partidos roubaram sem freios de nosso Tesouro. Nunca, antes, se viu, nem no Brasil nem no Mundo, a exacerbação do fisiologismo e da venda de Leis e Emendas Parlamentares quanto se viu acontecer e continua acontecendo nos governos petistas e neste, tampão, psdebista. Nosso País está sem rumo, sem governo, sem líderes realmente reconhecidos por nós. Temos, em NOSSO PODER, uma chusma de ladrões de colarinho branco que nos ridicularizam com pantomimas imorais cujo único objetivo é criar um cenário falso de Democracia, entidade que todos invocam enquanto cometem os mais abjetos crimes contra o Brasil. Alguns políticos têm realmente a vontade de servir ao país, mas o Sistema do Crime de Colarinho Branco é tão forte e tão tenaz que eles se sentem aprisionados em suas malhas e nada podem fazer. É o que acontece com Sérgio Zveiter, político do PSDB que sofreu os mais violentos ataques pelos que foram comprados por Temer só porque fez um relatório dentro da Lei e da Justiça em apoio à denúncia feita pelo Ministério Público do crime escancarado cometido por um assecla de Temer e filmado pela Polícia Federal, como já comentado acima, correndo com uma mala de dinheiro, a primeira parcela de R$ 500.000,00 semanais de uma sequência que se prolongaria por 30 anos, a serem pagas pelos mega-corruptores Joesley Batista e seu irmão, donos da JBS frigoríficos. E este é só um dos mega-escândalos protagonizados por políticos eleitos e seus Partidos.

Dificilmente uma face expressa tanta arrogância quanto a deste político brasileiro...

O Rei do caradurismo e do crime organizado de colarinho branco. Até quando?

Por tudo o que acima se relatoriou, o povo brasileiro está descrente da Política, a Verdadeira. E não é para menos. Nunca tivemos a prática da Verdadeira Política em nosso país e isto tem de acabar. Temos de nos unir contra o Sistema que a Criminosa Oligarquia Política vigente vem mantendo e fortalecendo contra nós, os eleitores. E esta união não pode ser no pensamento infantil de que não se deve votar mais, pois isto só dá reforço aos que já nos dominam.  Anular o voto não dá resultado porque a Lei diz que “o bandido” será eleito até com um único voto válido. Também não é formando grupos de “gritadores inoperantes” nas páginas de relacionamento, como o FACEBOOK, o YOUTUBE e outras; ou em passeatas que ao fim e ao cabo terminam melancolicamente, diferente de como começaram. Nada disto vai alterar um til no sistema que nos avilta, nos escraviza, vende nosso território ao estrangeiro e nos entrega à bandidagem livre em todos os níveis sociais de nosso povo. CHEGA! Nós estamos descrentes dos Partidos Políticos que se criaram após 64. Estamos descrentes e enojados de políticos apequenados perante o Brasil, como é o caso do Deputado Carlos Marun, defensor de criminosos traidores do nosso país; e Paulo Maluf, condenado até na França pelos crimes que cometeu aqui no Brasil, entre centenas de outros, que insultam tudo o que seja ético e patriótico; estamos descrentes de gente antipatriótica que só nos escandalizam e nos roubam sem punição séria. E é porque estamos descrentes do que aí está enraizado no Poder que é NOSSO, que conclamamos a Nação Brasileira a se unir para criar um Partido NOSSO, o Partido dos Brasileiros da Ordem e do Progresso. Este Partido deve ser a arma que vamos utilizar para colocar um fim no Sistema Político Podre que foi idealizado, estruturado e alimentado pelos Partidos Políticos envolvidos nas mais abjetas traições ao nosso País. O único modo efetivo de combater o Mal que nos envenena a Política é criando um mecanismo forte que se contraponha a ele. E na Política, este mecanismo forte deve ser um Partido que possa adentrar com força total o Sistema que aí está. E esta força não virá senão de cada um de nós, de mãos dadas e engajados ativamente no nosso Partido. Façamos do Partido dos Brasileiros da Ordem e do Progresso, o P.B.O.P., a máquina mortífera que, elegendo a maioria esmagadora dos Vereadores, nos Municípios; dos Deputados Estaduais, nos Estados da União; dos Deputados Federais, no Legislativo Nacional; e dos Senadores, na nossa Casa Senatorial, adentrará o centro de nosso Poder Público e esfacelará com o Sistema todo, colocando em seu Lugar o Brasil Livre do Crime Organizado de Colarinho Branco. Para sempre. O nosso país necessita de novos rumos na Política; necessita de uma esperança política que tenha novos planos para a criação de um Brasil pujante, seguro e livre do Crime de Colarinho Branco. Neste momento de nossa vida Política, onde se faz urgente mudanças radicais no Sistema que vige em nossa Política Nacional, por que não criar um novo partido político unido e forte, que pertença unicamente ao povo e a mais ninguém? Ele é a única arma de que dispomos para lutar contra o que aí está e nos esmaga. E é por termos a consciência da agonia em que se encontra o nosso povo que conclamamos os brasileiros à criação do verdadeiro Partido do Povo Brasileiro.

Justificativa

  • Por que?

Por que criar um novo Partido Político, quando já possuímos trinta e seis registrados e outros trinta e quatro na fila para conseguir registro? Nenhum país no mundo se iguala ao Brasil no que diz respeito ao exagero de Partidos Políticos em atuação e pretendendo registro. Por que há tanta gente cheia de vontade de criar partidos políticos, se todos os que já foram criados e estão aí, na direção de nossas vidas, só fracassam com o País? Pode-se dizer, sem medo de errar, que o Brasil chegou a esta situação aflitiva e calamitosa em que se encontra justamente por causa dos Partidos Políticos. Então, por que criar mais um?

A resposta não é simples. Para compreendê-la é necessário que a pessoa se distancie da balbúrdia em que o Sistema Político vigente no nosso Brasil da atualidade nos lançou desde o dia da Proclamação da República, em 15 de novembro de 1889. Esta balbúrdia consubstanciou-se na criação, implantação, manutenção e fortalecimento de uma Oligarquia Política nos moldes monárquicos, onde as famílias aristocráticas dominavam o povo iletrado, ignorante social, sem instrução escolar mínima, básica, que o capacitasse ao entendimento dos movimentos políticos que se faziam organizar sem sua participação direta.

 Mesmo desprezando o povo simples, os oligarcas não podiam dispensar sua mão-de-obra, pois sem ela não haveria produção de nada, visto que os oligarcas não trabalhavam senão no que lhes auferisse dinheiro de modo imediato e com bom lucro. Então, ironicamente, os oligarcas dependiam do trabalho do povo simples, humilde e desprezado. Este povo era que sustentava o país, gostassem ou não, os que se julgavam acima de todos e de tudo. As famílias oligarcas eram as donas das terras do Brasil, mas era o povo simples que a cultivava, plantava, colhia, empacotava e fazia todo o trabalho necessário ao comércio do produto. Mas na hora de embolsar os lucros eles não eram chamados para a partilha. Tudo ficava com os oligarcas. Como escravos, sob relho e crueldade; como artesãos simples; como pequenos produtores de manufaturas. O povo não lidava com intrigas e brigas por heranças milionárias nem pelo Poder Econômico-Financeiro. Ele se entregava com denodo e muita canseira ao trabalho realmente produtivo. E este sistema era muito bom para os oligarcas. Em resumo: o povo suava e a oligarquia festejava. Ainda hoje é assim.

A queda de braço entre oligarquia e plebe ignara (trabalhadores) vem de longa data no mundo todo e sua história é complexa e recheada de conflitos sangrentos. Foi no cadinho desta luta que nasceu um ideal político conhecido como Comunismo. E o idealizador fundamental do pensar comunista foi Karl Marx, que elaborou e promulgou o lendário Manifesto Comunista em 1848. O pensamento filosófico-político de Marx sofreu grandes reveses e grandes modificações e terminou por nos invadir na forma do Quasimodo com que nos deparamos em nossa atualidade. Não temos, a rigor, uma filosofia comunista verdadeira, mas temos uma filosofia baderneira sem qualquer objetivo que não a corrupção da Política pelos mais espertos, e concomitante apequenamento da Nação Brasileira. As Oligarquias nunca desapareceram de nossa terra. Ao contrário, elas se refinaram e se tornaram as donas do Poder Político Nacional que, segundo a Constituição de 1988, é do povo e deve ser exercido por representantes eleitos para ele e em seu nome. Mas não é o que acontece e a Mídia está aí, mostrando a cada segundo de nossas vidas que fomos divididos entre Zés Ninguéns e Oligarcas.

  • O COMUNISMO DO PT E A QUEDA DO BRASIL

No Brasil o pensar aleijado da filosofia Política Marxista consubstanciou-se no Partido dos Trabalhadores – PT. Nem é preciso que nós discorramos sobre o resultado de se colocar no Poder que emana do povo pessoas ou sem instrução e cultura, como Lula; ou instruídas e cultas, mas mal-intencionadas e viciadas em práticas enviesadas da Política, como Rodrigo Maia, Michel Temer, Aécio Neves e tantos e tantos outros.

Sem alguém realmente instruído e versado profundamente na Ciência da Politica Verdadeira, mas prenhe de indivíduos tacanhos, cheios do pensar errado sobre o que seja a filosofia de Marx, o PT perdeu uma chance de ouro de nos arrancar das mãos das oligarquias tradicionais. Apegados ainda à luta pelas armas; ao enfrentamento bruto e rude; à solução dos problemas político-sociais na base do manda quem pode e obedece quem tem juízo; à arcaica e dinossáurica filosofia do “nós contra eles”, os políticos petistas assenhorearam-se do Poder que é de todos os brasileiros numa disputa desarrazoada por dominar e mandar guiados pelo pensar estúpido do “nós contra eles” ou “dividir para governar”. Mas tão logo abriram as portas da “Caverna de Ali-babá”, o Olimpo das Oligarquias brasileiras que é o Planalto Central, deslumbraram-se com os rios de ouro na forma de dólares e reais a escorrer sob o comando de corruptores e corruptos. E esquecendo de qualquer mínimo propósito honesto que pudessem ter, os políticos do PT mergulharam fundo na roubalheira e afundaram o Brasil de tal modo que até as oligarquias se assustaram com o estrago que eles fizeram. E hoje, por paradoxal que pareça, são oligarcas velhos corruptos de marca que tentam retirar o país do buraco quase sem fundo em que o PT o atirou.

O Comunismo, o verdadeiro, encruou-se no tempo. Ficou para trás. E países como a China, que o adotaram tiranicamente, tiveram de se adaptar ao modo de vida da maioria dos países do mundo, que adotaram a Democracia como a filosofia política de seus governos. Lá se criou um Quasimodo diferente do que o PT criou no nosso país. Lá não há divisão entre as classes sociais, exceto uma: a classe dos integrantes do Politburo comunista e o resto, o povo trabalhador. Este, não tem direito a pensar e se o fizer e falar o que pensa leva bala e a família ainda tem de pagar por ela. Entre nós, o PT e seus líderes imaginaram impor-nos uma ditadura à moda de Fidel ou Maduro. Não vingou e jamais vingará, pois o Brasil é gigante e é impossível impor a uma gente tão livre um regime de tirania absoluta. Mas Temer nos mostra que é possível escravizar toda a Nação Brasileira à vontade de uns poucos e milionários empresários e industriários.

  • Nossa Situação Política Ultrapassou os Limites do Suportável

O Sistema Oligárquico desenvolvido por nosso Sistema Político, principalmente depois do advento da tomada do Poder pelos Militares em 1964, não impulsionou o Brasil par a frente, como se dizia que faria. Ao contrário, desde que os civis voltaram ao nosso Poder, entregaram-se a trabalhar afanosamente e com tenacidade na construção de um Sistema no qual o modo Oligárquico de vida voltasse com força total a dominar o nosso país. Nisto eles deixaram de ser brasileiros e passaram a uma classe à parte, pois o povo brasileiro não luta por nada que não seja seu pão-nosso-de-cada-dia. Conformado, acomodado e irresponsável, o povo brasileiro abriu todos os caminhos para que os espertos políticos do passado retomassem tudo o que os militares lhes tinham retirado, de volta. E com juros e correção monetária. O resultado está aí e não se pode negar. O primeiro ataque que fizeram, e com êxito, foi contra a Educação Escolar. O segundo, foi contra a Família. O terceiro foi contra a Segurança Pública. O quarto foi contra a Saúde Pública e, finalmente, o quinto foi contra a Infra-estrutura das cidades e das rodovias. Quebraram tudo. Roubaram todas as verbas a estes serviços públicos destinadas. E para consolidar a posse de nosso Poder, criaram o voto através de máquinas eletrônicas, que, como já foi exposto no FACEBOOK, pode facilmente ser manipulada para que os Partidos elejam o “carta-marcada” por eles, em detrimento dos candidatos escolhidos pelo eleitor. Pronto! Nós nos tornamos, por nossa própria desídia, escravos dos políticos oligarcas.

  • A Oligarquia Política, a Corrupção e os Serviços Essenciais.

Nosso País vem em crises administrativas sucessivas desde mesmo quando se pensou livrá-lo do regime imperial. No entanto, ao se tentar adotar um sistema político com base no ideal Republicano da igualdade de todos perante a Lei e com a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à segurança à propriedade, à cidadania, à dignidade da pessoa humana e aos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa, como consta na Constituição de 1988, fracassou-se vergonhosamente. Quando se tentou a livre aquisição de bens e o compartilhamento de riqueza segundo os esforços individuais e coletivos, através da concorrência e da competição honestas, o que se fez foi sedimentar um sistema político arcaico, vicioso, fundamentalmente oligárquico que em sua essência não somente conserva como incentiva o viver segundo aquele sistema feudalista e dinossáurico. Pior que isto: um sistema que deu aso ao desenvolvimento, incremento, aprimoramento e inserção no modus vivendi político, de um mal que está-nos levando à bancarrota: a Impunidade. As Oligarquias não querem trabalhar no que devem, isto é: atendendo às cinco necessidades básicas mínimas do país: Educação Escolar; Infra-estrutura; Saúde Pública; Segurança Pública; Transporte Público. Nenhum destes serviços jamais alcançou um patamar mínimo capaz de satisfazer a população brasileira. No entanto, nós fazemos uma economia forçada, à custa de impostos escorchantes, chamada de Erário Público, justamente para que essa riqueza quase incomensurável seja aplicada a todos os municípios brasileiros. Mas isto jamais aconteceu. E se continuarmos sob o tacão dos oligarcas, jamais acontecerá.

Ao contrário do que devia ser feito, no quesito Segurança Pública estamos totalmente abandonados e à mercê de todo e qualquer criminoso que vagueie por nosso território. Eles nos matam sem dó nem piedade, enquanto nossos políticos se engalfinham no esforço imoral de se defenderem da Lei e da Justiça, escudados na infame Imunidade Parlamentar.

Embora a Constituição Brasileira diga que nosso Sistema Democrático fundamenta-se na Independência dos Três Poderes que os constitui, os políticos eleitos são os primeiros a desrespeitar esta norma “pétrea” da Constituição. Tão logo são eleitos largam o mandato que lhes foi outorgado pelos eleitores e vão trabalhar como empregados nas Secretarias Municipais e Estaduais; ou nos Ministérios Federais, de onde podem cometer os maiores crimes contra o país sem serem incomodados. E seus Partidos exigem cargos onde dependurar apadrinhados e eleitores que possuem grande número de “votos de cabresto” a ceder para o Partido, mas quase ou nenhum conhecimento válido para os trabalhos que o local requer. E se o possui, emprega-o vergonhosamente em benefício do Partido Político que o colocou ali, traindo vergonhosamente o país em que nasceu; e neste barco estão milhares de advogados eleitos por partidos políticos corruptos.

Embora alardeiem aos quatro cantos do mundo alguma obra que tenham iniciado e não terminado, como é o costumeiro, os políticos não ligam para o desperdício de nosso dinheiro. Até porque tais obras monumentais, como os Estádios de Futebol para a Copa do Mundo no Brasil, e a Cidade Olímpica, no Rio de Janeiro, serviram ao propósito principal de qualquer político ou partido político: desviar dinheiro público, de nosso Erário, para os bolsos dos eleitos e para seus partidos. Haja vista o que aconteceu com os governos petistas, dos Municípios à Federação, e ainda vem acontecendo, desde sempre, sob a batuta dos Manda-Chuva dos dois maiores partidos brasileiros: PSDB/PMDB. E isto sem citar a catástrofe administrativa que se abateu sobre o Rio de Janeiro, onde Sérgio Cabral criou a mais bem organizada quadrilha política de todos os tempos.

Tudo o que compete ao político, que larga sua função política no Poder Legislativo, para a qual foi eleito, e se atira gulosamente (forçado pelo Partido Político) a tomar conta de um órgão público no Poder Executivo, ele não realiza. Muitos não porque sejam corruptos de nascença, pois ninguém o é; mas sim porque estão prisioneiros do Partido pelo qual se elegeu. Exemplos nós temos de sobra no atual julgamento de Temer. Os Partidos implicados no fisiologismo psdebista impuseram a muitos de seus membros votar a favor do suposto criminoso (visto que a sua culpabilidade não ficou legalmente comprovada, segundo o complexo e difícil rito adotado para prender um colarinho branco), ou seriam punidos com rigor. Nesta condição é muito difícil encontrar algum político que faça a opção pelo Brasil e, não, pelo criminoso. Além das ameaças diretas, muitos políticos foram forçados a abraçar a causa vergonhosa do Presidente Tampão porque este lançou mão da mais criminosa e vergonhosa manobra política de que se tem notícia no mundo: distribuição de verbas para Emendas Parlamentares, um pomo disputadíssimo por Partidos e Políticos corruptos, visto que este dinheiro, que nos pertence, ao povo que somos nós, não tem cobrança direta sobre seu emprego em um dos cinco serviços obrigatórios dos governantes eleitos.

Vergonhosa e insultuosamente, as obras licitadas por milhões de reais são alardeadas com estardalhaço pelos Governantes entronados em nosso Poder. Mas todas, sem exceção, desde após 1964, sempre serviram para movimentar com força os braços da corrupção. Da licitação municipal àquelas Federais, os ralos por onde nosso dinheiro público escorre são inúmeros e quase indestrutíveis. Mas as verbas destinadas à realização de tais obras nunca são suficientes. A obra licitada começa com um valor X, e logo este valor aumenta para X(n), onde n corresponde aos inúmeros aditivos que aumentam quase geometricamente o valor inicialmente contratado. No entanto, por mais dinheiro que à tal obra se aloque, ela nunca é terminada. Com freqüência é simplesmente abandonada e não preciso citar exemplos, pois na internet qualquer brasileiro pode ter uma visão fotográfica e descritiva de um número quase infindável de tais crimes. Educação Pública; Saúde Pública; Segurança Pública; Transporte Público e Infraestrutura estão sempre no centro das promessas dos políticos, quando eles ainda são candidatos. Mas uma vez eleitos, suas promessas se esvaem como espuma ao ar. Por que?

Em primeiro lugar porque o objetivo dos Partidos Políticos não é, essencialmente, o uso das verbas destinadas a tais serviços obrigatórios do Poder Público eleito naquilo para que foram destinadas. Entre o Poder Central, de onde partem as verbas, até o Município ao qual elas se destinam, muitas mãos se estendem para abocanhar um bocado. Assim, quando chegam ao destino estão reduzidas a quase nada. O empreguismo público criminoso é o segundo maior ralo por onde escorre nosso dinheiro. Empregar eleitores “encabrestados” é vital para qualquer Partido que milite no Sistema Podre Político em que vivemos e ao qual estamos submetidos inexoravelmente. E o apadrinhamento criminoso não leva em consideração o conhecimento do seu protegido e sua adequação ao trabalho que deve executar no órgão público. O que interessa é garantir um trabalho com salário o mais inferior possível a uma grande massa de pessoas que, de tanto depender de tal favor criminoso do político e seu partido, termina por se tornar um campo de viciados incorrigíveis. E esta dependência de um emprego público ganhado gratuitamente a troco de votos se torna uma doença social difícil de se erradicar, mormente em Estados com pouco investimento e pouco desenvolvimento industrial e empresarial.

Por tudo o que foi dito acima e que é nada diante do que acontece em nosso país, urge que fundemos um Partido Político desvinculado do Sistema Oligárquico que vige atualmente e ameaça se perpetuar pelo próximo século. Este Partido se sustentará apenas e exclusivamente da colaboração mensal de seus afiliados. Ele não usará do vergonhoso Fundo Partidário para atender a qualquer necessidade sua. Periodicamente promoverá encontros com seus afiliados, nos municípios onde esteja firmado, para que suas executivas municipais informem o que está sendo feito em benefício da comunidade local e de outras em outros Estados da União, prestando contas da verba arrecadada, e solicitando a promoção de eventos que possam trazer mais verba para que o Partido possa realizar atendimentos emergenciais aos seus afiliados. Afora isto, o PBOP estará sempre e ininterruptamente cobrando dos eleitos que expliquem aonde foram parar as verbas destinadas aos municípios e postará nos jornais e revistas locais tudo o que acontecer com elas, inclusive entrando no Poder Judiciário contra os políticos que as malversarem. Tudo isto e muito mais nosso Partido terá a obrigação Estatutária de levar a efeito pelos afiliados. Os candidatos do PBOP não poderão ser lançados sem, antes, fazerem um curso sobre Política e Moral e Ética no Serviço Público, e terão de assinar documento comprometendo-se com o PBOP e, logicamente, com todos os afiliados do Partido, a não se envolver com os bandidos de colarinho branco e jamais lhes dar respaldo nas manobras de lesa-pátria, obrigando-se a denunciá-las mesmo que correndo perigo de vida. Nossos candidatos eleitos brigarão sem tréguas para levar avante os objetivos do Partido, exarado em seu Estatuto, que em breve aqui será disponibilizado para conhecimento dos interessados.    

.

VOCÊ SABE COMO SURGIU O ATUAL INSS?

Deixe um comentário

 

EU

Aprenda, para poder se defender.

Posso dizer, sem medo de errar, que a esta pergunta 90% dos brasileiros responderão NÃO, EU NÃO SEI. E entre estes 90% estão inseridos 100% dos jovens brasileiros com idade até 40 anos, atualmente. Esta absoluta indiferença por medidas governamentais que afetam profunda e diretamente a vida de todos nós é a nossa desgraça. Talvez porque sejamos riquíssimos em águas, terras, flora, fauna e mares e disponhamos de uma incomensurável riqueza no que diz respeito a belezas naturais e a alimentação, nós nos tenhamos tornado preguiçosos quanto a prestar atenção ao que um punhado de pessoas escolhidas para Governar o NOSSO PAÍS fazem quando encastelados nos suntuosos e caríssimos prédios da Administração Pública, desde a Municipal até a Federal.

É responsabilidade nossa, e somente nossa, como cidadãos de um país das maravilhas, o que nos sucede atualmente nos Governos. Desde o Municipal até o Federal. Os políticos não são corruptos sozinhos. TODOS NÓS SOMOS CORRUPTOS e isto não há como negar, esperneie quem espernear. Haja vista o que acontece no ENEN e nos concursos públicos, noticiado insistentemente pela Imprensa Nacional.

Dito isto, vamos ao que interessa a todos nós, principalmente aos jovens de nossa atualidade, cuja Educação Escolar deixou de existir desde quando o PT desgraçadamente assumiu o destino do Brasil e meteu os pés pelas mãos descontroladamente.

Basta uma rápida consulta ao “papai Google” que já se pode descortinar o início do que viria a ser o atual I.N.S.S. – Instituto Nacional de Seguridade Social. Lá está registrado que:

“A previdência social no Brasil deu seus primeiros passos com a Lei Elói Chaves, de 1923, que criou as Caixas de Aposentadorias e pensões (CAPs), que eram geralmente organizadas por empresas e empregados. As CAPs operavam em regime de capitalização, porém eram estruturalmente frágeis por possuírem um número pequeno de contribuintes e seguirem hipóteses demográficas de parâmetros duvidosos; outro fator de fragilidade era o elevado número de fraudes na concessão de benefícios.

Em 1930, o presidente do Brasil Getúlio Vargas suspendeu as aposentadorias das CAPs durante seis meses e promoveu uma reestruturação que acabou por substitui-las por Institutos de Aposentadorias e Pensões (IAPs), que eram autarquias de nível nacional centralizadas no governo federal. Dessa forma, a filiação passava a se dar por categorias profissionais, diferente do modelo das CAPs, que se organizavam por empresas.”

“Ao longo dos anos que se seguiram à ação de Getúlio Vargas surgiriam os seguintes institutos:

  • 1933 – IAPM – Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Marítimos; (Decreto n° 22.872, de 29 de junho de 1933);
  • 1934 – IAPC – Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Comerciários (Decreto n° 24.272, de 21 de maio de 1934);
  • 1934 – IAPB – Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Bancários (Decreto nº 24.615, de 9 de julho de 1934);
  • 1936 – IAPI – Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários (Lei n° 367, de 31 de dezembro de 1936) ;
  • 1938 – IPASE – Instituto de Pensões e Assistência dos Servidores do Estado (Decreto-Lei n° 288, de 23 de fevereiro de 1938);
  • 1938 – IAPETC – Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Empregados em Transportes e Cargas (Decreto-Lei n° 651, de 26 de agosto de 1938);
  • 1939 – Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Operários Estivadores (Decreto-Lei n° 1.355, de 19 de junho de 1939);
  • 1945 – ISS – O Decreto n° 7.526, de 7 de maio de 1945, dispôs sobre a criação do Instituto de Serviços Sociais do Brasil.
  • 1945 – IAPETEC – O Decreto-Lei n° 7.720, de 9 de julho de 1945, incorporou ao Instituto dos Empregados em Transportes e Cargas o da Estiva e passou a se chamar Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Estivadores e Transportes de Cargas.
  • 1953 – CAPFESP – Caixa de Aposentadoria e Pensões dos Ferroviários e Empregados em Serviços Públicos (Decreto nº 34.586, de 12 de novembro de 1953);
  • 1960 – IAPFESP – Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Ferroviários e Empregados em Serviços Públicos (Lei nº 3.807, de 26 de agosto de 1960, art. 176 – extinta a CAPFESP).

Ora, tamanha profusão de Institutos de Aposentadorias e Pensões, considerando que somos, desgraçadamente, geneticamente inclinados para o crime acima de todos os sensos morais de um povo, de uma Nação, não poderia desembocar senão num oceano de corrupção. E foi o que aconteceu. Os aposentados eram sistematicamente lesados e passados para trás.

E aí vieram os Militares, em 1964, com o que os comunistinhas de nada e a Imprensa Safada denominaram de Anos de Chumbo. Eles, Os militares, decidiram que era tempo de colocar ordem no galinheiro e espantar as galinhas de bicos largos e papos gulosos. Para isto, criaram uma Comissão que devia estudar e unificar todos os IAPA’s numa só organização. E foi assim que Eloah Bosny, em 1966, pariu o I.N.P.S. – Instituto Nacional de Previdência Social.

Pronto. Agora, você que ousou me ler, forçado que está sob a pressão dos atuais políticos, os quais jogam sobre nossos ombros seus desmandos e desfeitos a fim de que não os consertemos, mas paguemos os roubos trilionários que fizeram em nosso Erário Público, agora, repito, você já sabe um resumo da História do Instituto ao qual, querendo ou não, no futuro você estará dele totalmente dependente. Principalmente se você é assalariado. Mas sua cultura deve aprofundar-se um pouco mais, pois do conhecimento do que aqui eu resumo vai depender sua reação ao que os políticos de hoje estão fazendo com o seu futuro.

Em 1974 foi fundada a Dataprev. Em 1977 foram fundados os hoje extintos Sistema Nacional de Previdência e Assistência Social (SIMPAS), Instituto de Administração Financeira da Previdência e Assistência Social (IAPAS) e o Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (INAMPS). Em 1990, o INPS se fundiu ao IAPAS para formar o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). O INAMPS, que funcionava junto ao INPS, foi extinto e seu serviço passou a ser coberto pelo SUS.

Tudo isso que relatoriei acima aconteceu durante os Anos de Chumbo dos comunistinhas de p. n. Em 1985 o nosso Poder deixava de estar nas mãos dos Militares e retornava para as mãos dos Civis. E deu no que deu…

Eu acredito que você tem o DEVER de conhecer a Lei que criou o Instituto Nacional de Previdência Social – INPS, pois quando a História é abolida do conhecimento do povo de uma Nação, esta Nação perde sua Identidade. O resultado é esse aí que nós vemos diariamente nos noticiários das televisões. Então, eis aqui um “tiquinho” da Lei que criou o INPS:

DECRETO-LEI Nº 72, DE 21 DE NOVEMBRO DE 1966.

  Unifica os Institutos de Aposentadoria e Pensões e cria o Instituto Nacional de Previdência Social.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe é conferida pelo art. 30 do Ato Institucional nº 2, de 27 de outubro de 1965, combinado com o art. 2º do Ato Complementar nº 23, de 20 de outubro de 1966,

DECRETA:

Art. 1º Os atuais Institutos de Aposentadoria e Pensões são unificados sob a denominação de Instituto Nacional de Previdência Social (INPS).

Art. 2º O INPS constitui órgão de administração indireta da União, tem personalidade jurídica de natureza autárquica e goza, em tôda sua plenitude, inclusive no que se refere a seus bens, serviços e ações, das regalias, privilégios e imunidades da União.

Art. 3º O fôro (= órgão Legal para julgar e dirimir questões relativas ao Instituto) do INPS é o de sua sede ou da capital do Estado em que houver órgão local, para os atos deste emanados. O réu será acionado no fôro de seu domicílio.

Art. 4º O INPS será dirigido por um presidente, nomeado em comissão pelo Presidente do República, por indicação do Ministro do Trabalho e Previdência Social.

Art. 5º Ao presidente do INPS são conferidas atribuições gerais de gestão do Instituto, na forma que o regulamento dispuser.

Eu defendi, e ainda defendo, a tese de que o atual INSS não seja mantido como órgão da Administração Indireta do Governo Federal, mas sim uma Entidade Previdenciária administrada e regida pelo sistema legal privado, mas estreitamente vigiado e fiscalizado pelo Ministério Público Federal e pela C.G.U. – Controladoria Geral da União, no que diga respeito às Auditorias obrigatórias a todas as entidades públicas e privadas; bem como à Ouvidoria totalmente aberta ao acesso do cidadão previdenciário para denúncia e reclamações; à Correição (punição de infrações disciplinares dentro da Administração Privada do INSS) e, através da fiscalização contínua da Polícia Federal sobre os indivíduos eleitos pelos segurados, atuando na prevenção e no combate sem tréguas à corrupção dentro do Instituto. A interferência da CGU ficaria contida dentro do âmbito da Ouvidoria, das Auditorias Anuais e da Fiscalização Policial, para verificar o emprego que a Administração do Instituto de Aposentadoria dos Brasileiros faz da imensa fortuna colocada sob sua guarda e gerenciamento. O Estado não pode deixar totalmente nas mãos de administradores civis o dinheiro do povo, mas também não pode manter controle absoluto sobre ele, visto que se trata de uma POUPANÇA de todos os brasileiros ÚTEIS E ATIVOS NO TRABALHO EMPRESARIAL, que é totalmente desvinculado daquele, público.

Dinheiro é tentação. Muito dinheiro é muita tentação. Assim, a poupança previdenciária dos brasileiros tem de ser fiscalizada pelo Serviço Público Federal, visto que para isto a ele compete todo o Poder Corretivo. Mas a dinheirama do INSS não pode ficar sob a gerência Política exclusivamente, pois a tentação ao roubo é irresistível nos que são designados para lidar com tamanha riqueza.

Eu creio que consegui aclarar para os que me lêem o quanto de responsabilidade temos, todos nós, sobre a poupança que também é de todos nós. Agora, compete aos leitores DIVULGAR este artigo entre seus conhecidos, amigos, parentes e aderentes. Compete a todos debater o assunto, que é de vital importância para o futuro de cada um brasileiro, pois ninguém escapa à velhice e ninguém escapa à Lei de recolhimento mensal da poupança previdenciária.  

 

MOURÃO NELES, BRASIL!

Deixe um comentário

É preciso que todos, ABSOLUTAMENTE  TODOS OS BRASILEIROS, ouçam não uma, mas centenas de vezes o pronunciamento do General Mourão. É preciso que pensemos muito sobre este homem, que me parece, deve ser o próximo Presidente Militar de nosso País. Mas peçamos a ele que não dê abertura para Coronéis como os que danaram a EMBRATEL, como os Cornéis Paulo Ignácio Domingues (obrigado a aceitar a reforma antes do tempo devido a ter sido pegado em roubo). Eu li todo o processo, que me foi mostrado pelo meu saudoso Coronel Carlos Alberto Goulart Pereira, ex-combatente, que esteve nas fronteiras com o saudoso Marechal Humberto de Alencar Castello Branco; e o Coronel José de Castro Dieguez, também reformado por ser ladrão no Exército), entre outros, cujos nomes citarei durante a descrição do livro de minha vida. Mais

“A UM ANO DAS ELEIÇÕES, EX-PRESIDENTE LULA MANTÉM VANTAGEM EXPRESSIVA SOBRE OS ADVERSÁRIOS”

Deixe um comentário

É a esta besta que o DATAFOLHA quer que acreditemos que a maior parcela de brasileiros apóia. Não dá pra acreditar.

Li e reli o artigo publicado hoje, na FOLHA DIGITAL. Sou radicalmente anti-Lula. Eu o quero ver nas profundas do Inferno e longe, bem longe, nos confins da Galáxia, para que pare de fazer mal ao meu país. No entanto, eis que o DATAFOLHA sai com esta bomba de São João com base numa pesquisa certamente comprada pelos comunistinhas de bosta (PT, PC do B, PCB e outros que tais). O DATAFOLHA, aliás como qualquer agência de pesquisa de opinião pública, sempre tem uma porta aberta pela lateral. É por onde entram os fracassados como o PT e afins. Mesmo assim, estas notícias falsas causam raiva na gente. Lula é LADRÃO; Lula é MENTIROSO; Lula é INCOMPETENTE para ocupar a cadeira de Presidente da República do Brasil; Lula é FANTOCHE de interesses expúrios de países criminosos, como todos os que seguem o pensamento ideológico social-comunista. LULA, enfim, NÃO PRESTA NEM PARA SER JOGADO NO LIXO. Será que o DATAFOLHA pensa que somos, todos nós, brasileiros, imbecis? Será que lhe falta dignidade para ao menos nos respeitar? Mais

EM DESAGRAVO A HUMBERTO DE ALENCAR CASTELLO BRANCO

1 Comentário

Enlamear Castello Branco, não.

Eu disse que não morro de amores pelos militares e não morro mesmo. Um “tiquinho” do que eles me fizeram passar injustamente eu relatei aqui. A luta entre nós foi silenciosa, mas de uma violência e maldade estarrecedoras. Quando os militares se atiram em perseguição de alguém não têm limites. E quando querem justificar o assassinato de um desafeto que desejam “fazer desaparecer legalmente”, sabem como ninguém ser ardilosos e maldosos. Sabem fabricar provas, manipular situações de vida e implicar pessoas outras que lhes possam servir para atingir seus objetivos perversos. Mas se há militares que merecem ser colocados diante de um pelotão de fuzilamento, há, também, outros que devemos admirar e respeitar. Os militares não são nem piores nem melhores que qualquer um de nós. E os que foram Presidentes da nossa República nos mostraram que foram parte daquele pequeno grupo que podemos considerar dos melhores, pois NENHUM DELES SAIU DO PODER MILIONÁRIO. Só isto já lhes avaliza a honestidade. Depois deles, nenhum político entrou pobre e deixou de sair milionário às nossas custas; à custa de milhares de vidas de brasileiros à míngua nos bancos das UPA’S e dos Hospitais Públicos totalmente abandonados. Mais

ABORTAR OU NÃO ABORTAR? EIS A QUESTÃO. MAS ANTES, FALO DE BUNDAS.

Deixe um comentário

Eu sorrindo

Sou brasileiro e tenho direitos garantidos pela Constituição. Não abdico deles pelo “politicamente correto” nem a pau.

Antes de abordar o tema que encabeça este artigo, preciso esclarecer aos meus leitores no FACE a razão pela qual vou demorar mais a escrever notas ali.

Vou dar  um tempo no FACE. Tenho escrito mais ali do que aqui e o motivo é que não estou agrandando muito aos novos brasileiros, visto que sou “prolixo” e a nova safra de patrícios não consegue ler além das duas linhas do twitter, ou por falta de tempo ou por incapacidade de compreender o que se diz. Mas o FACE anda muito cheio de “isto pode, aquilo não pode”. Ora, sendo uma plataforma norte-americana, é de se acreditar que refletisse a Democracia como pregam para o mundo todo. Mas não é. Se se tenta escrever o que realmente se sente e se usa termos mais fortes, como “nádegas”, “bunda”, “fundilhos” etc… o Face censura. No entanto, tais vocábulos são intrínsecos à linguagem sadia, vernacular de nosso idioma. “Bunda”, por exemplo, é um designativo de uma das partes pudendas de nosso corpo e foi adotado pelo nosso idioma, visto que é oriundo da língua falada pelos pretos de Angola. Só que se deu a este termo um significado pejorativo (= reles; sem valor; imprestável, fedorento, feio etc…), coisa muito natural no tempo da escravatura no Brasil e no tempo em que se aprendia realmente a falar a língua portuguesa verdadeira e se zelava por ela.  Falando da inércia de RAUL JUGMANN, o “Ministraço Politicaço” que manda e desmanda em nossas FORÇAS ARMADAS, com relação à novela rocambolesca do Rio de Janeiro,  eu disse que ele, sendo político, não vai tirar a bunda da cadeira para realmente se mexer e dar um fim rápido e definitivo à bandidagem que assola a Cidade Maravilhosa. Por isto faz que nossas Forças Armadas participem do circo macabro do “vou fazer mais não sei quando nem como“. Político NUNCA age com assertividade em benefício do povo que o elege. Político só é assertivo quando se trata de safar seu próprio couro ou quando se trata de safar o couro de outro bandido de colarinho branco e, neste caso, só se perceber que pode ganhar um extra, como Verbas Parlamentares (ou cargos públicos para emplacar seus capangas ou êmulos do mal), a fim de apoiar o criminoso contra a mão pesada da Justiça. V. g. o affaire Temer. Mais

MANIFESTO DO PARTIDO BRASILEIROS DA ORDEM E DO PROGRESSO (PARTE I)

Deixe um comentário

 

"Ama com Fé e Orgulho a Terra em que nasceste; criança, não verás nenhum país como este..."

“Ama com Fé e Orgulho a Terra em que nasceste; criança, não verás nenhum país como este…” (esta foto, colhida na Internet, é do MundoImagem e foi por nós escolhida porque simboliza muito bem nosso país em sua atualidade. Nossos ideais se prendem a um mastro frágil, como se prende nosso símbolo maior, na foto acima).

Nosso Lema: Ordem e Progresso sem crime de lesa-pátria em qualquer nível da representatividade do Poder Público, o Poder do povo brasileiro.

Nossa Diretriz Fundamental: “Todos são iguais perante a Lei, inclusive os Políticos”.

Nossa Luta: Pelo Brasil acima de tudo; Pela Justiça; Pela Verdade; Pela Honestidade e pela Liberdade com limites democráticos, sociais, familiares e, acima de tudo, no respeito às manifestações individuais ou coletivas. 

Nossa Base de Luta: Um Brasil livre de corrupção, de corruptores e sem criminalidade de qualquer espécie, combatendo sem tréguas Partidos Políticos que endossem ideologias tendenciosamente tirânicas e ideologicamente oligárquicas.

Nosso Objetivo Primordial será Instituir uma Constituinte que aprove uma nova
Constituição Brasileira onde o ideal principal seja o bem-estar e a segurança da Nação Brasileira.
Mais

Older Entries