A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – CXVII: YEHOSUA INCOMODA O SINÉDRIO

3 Comentários

Caifás temia as idéias inovadoras de Yehoshua porque elas punham em perigo o Sistema Político-Religioso que os rabis tinham implantado entre os hebreus. 

Caifás recebia a visita do rabi Ezequiel, filho de Josué. A manhã era amena em Jerusalém e a brisa tornava o dia muito agradável. O grão-sacerdote tinha diante de si um homem saudável, de faces rosadas e com expressão de grande alegria em todo ele. Caifás olhava seu parceiro de Templo com desconfiança e preocupação. Mas nada disse, preferendo ouvir o que o outro tinha para lhe contar. Sentado ao lado de ambos, Anás ouvia tudo atentamente.

— Então, vens de Nazaré e sei que perambulaste por lá à procura daquele que se diz ser o descendente de David que faz milagres e prega contrário ao que nossos livros nos dizem. O que tens a nos contar? Vejo que estás com excelente saúde. Aonde foi parar aquele sofrimento que te martirizava? Não vais dizer-nos que tu também foste curado pelo tal rabi milagroso… Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – CXVI: YEHOSHUA E SUAS BEM-AVENTURANÇAS.

1 Comentário

No monte Gerezim ele pregou seus melhores sermões.

À noite chovera muito e Siqem amanhecera com muita lama e bastante fria. Mesmo assim, Yehoshua se levantou bem cedo, no alvorecer, mais ou menos às 5 horas da manhã,  fim de se pôr a caminho para o monte Gerezim. Fez o desjejum junto com a família de Jeremiah, onde tinha sido recebido no dia anterior e cujo filho de cinco anos obtivera a cura de sua afonia na última vez em que o Mestre pregara ali. Após a despedida Yehoshua encetou sua caminhada.  Passou pelos vigias romanos que não se incomodaram com sua presença e subiu até o topo do monte. Lá, sentou-se sobre uma pedra e descortinou o vale abaixo. A visão era bonita. Ele fechou os olhos e se concentrou na testa de Cefas. Este, que estava em Nazaré, distante de Siqem (também chamada de Nablus), distante 59 Km de onde o Mestre se encontrava sentiu algo em seu cérebro. Fechou os olhos e sacudiu a cabeça e imediatamente viu Yehoshua sentado sobre a pedra, em Gerezim. Cefas compreendeu que o Mestre chamava seus apóstolos e tratou de juntar todos eles na casa de Míriam de Magdala, a esposa de Yehoshua. Comunicou aos demais o chamamento e todos se aprestaram para encetar a caminhada, inclusive Míriam, a mãe e Míriam de Magdala, a esposa. Junto a elas seguiram Ruth, Marta, e Míriam, todas irmãs do Mestre. Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO CXV: NOVAMENTE EM SIQEM AOS PÉS DOS MONTES GERIZIM E EBAL

Deixe um comentário

Até hoje os dois morros preferidos por Yehoshua para falar às gentes se mantêm de pé, guardiães da História.

Gerizim é um Monte famoso entre os hebreus, fica bem defronte a outra pequena elevação, o Monte Ebal. Entre ambos estava a pequena vila de Siqem. Há uma semana que Yehoshua tinha desaparecido diante da turbamulta que se desesperava para dele obter cura para seus males físicos. Hoje, com o tempo ameaçando chuva, ele caminhava a passos largos em direção à pequena vila entre os dois morros famosos. Diziam as lendas locais que Noé tinha erigido o primeiro altar ao Santíssimo depois que o dilúvio secara no topo do morro Gerizim. Contava-se, tradicionalmente, que Josué tinha lançado uma maldição sobre o morro Ebal. A história, transmitida oralmente de geração a geração e repetida como um dogma constante dos livros sagrados dos hebreus, dizia que  o Senhor teria falado a Josué, filho de Nun e ajudante de Moisés, dizendo-lhe o seguinte: “Meu servo Moisés morreu. Agora, levanta-te e atravessa o rio Jordão, tu e todo este povo, e vai para a terra que vou dar aos filhos de Israel. Eu vos farei senhores de todo lugar que os vossos pés pisarem, conforme tinha eu prometido a  Moisés. A terra que vos darei  estender-se-á do deserto e do Líbano até o  o rio Eufrates, por toda a terra dos heteus, até ao Grande Mar, a ocidente. Ninguém poderá opor-se a ti enquanto viveres. Assim como estive com Moisés eu estarei contigo e não te deixarei nem te abandonarei e ao meu povo. Sê forte e corajoso, pois farás este povo herdar a terra que jurei dar a seus pais. Sê, portanto, forte e muito corajoso, e cuida de agir segundo manda a lei que Moisés, meu servo, te prescreveu e a esse povo que agora tu guiarás. Não te desvies nem para a direita nem para a esquerda, a fim de que tenhas êxito por onde quer que andes. Não pares de falar deste livro da Lei ao teu povo. Medita no que nele se contém dia e noite, para que procures agir de acordo com tudo o que nele está escrito. Assim farás prosperar teus caminhos e serás bem sucedido juntamente com teu povo. Não te ordenei que sejas forte e corajoso? Não tenhas medo, não te acovardes, pois Eu, o Senhor teu Deus, estarei contigo por onde quer que vás”. Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO (CXIV): CONTRARIEDADE

Deixe um comentário

O Rei dos Reis às vezes se entristecia pela dificuldade do povo em assimilar seus ensinamentos.

O Senhor, como agora os apóstolos o chamavam, encaminhou-se para o morro onde o povo já se acostumara a ouvir-lhe as palavras e, mais que isto, a obter curas para seus males físicos. Yehoshua não gostava desta última condição e o dizia insistentemente aos seus seguidores. “Não é o corpo o que importa”, dizia enfático, “mas sim o Espírito. Não é a Alma mortal o que importa, mas sim o Espírito. Quando será que ireis entender minhas palavras?” Mesmo os mais letrados nas Leis hebraicas tinham dificuldade de compreender o que insistentemente Yehoshua tentava lhes ensinar. Espírito, Alma e Corpo lhes pareciam uma única criação de Yaveh. O Reino pelo qual eles esperavam não se encontrava além do limite de seus cinco sentidos. Por isto acreditavam piamente que aqui, neste mundo, dentro desta terceira dimensão, após o Juízo Final, os hebreus, por serem o povo escolhido de Yaveh, herdariam a Terra e seus tesouros. Todos os outros povos tinham a obrigação de se curvarem diante de um hebreu, estivesse ele onde estivesse que não em território hebraico. Este pensamento era a raiz da fé dos hebreus e mesmo o Filho do Homem não conseguia abalar tal crença. Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO (CXIII): AS CURAS SE MULTIPLICAM

Deixe um comentário

APÓSTOLO PEDRO - SIMÃO BARJONAS

Cefas ou Simão Barjonas. Posteriormente, Pedro.

Yehoshua retomou a direção de Cafarnaum, mas não enveredou pela cidade, que fervilhava de gente vinda das redondezas, todas ansiosas para conseguir alguma cura para suas mazelas. Encaminhou-se para o morro onde havia feito sua pregação depois conhecida como O Sermão da Montanha. Mal o pequeno grupo chegou ao local e já uma romaria começava a se fazer presente. As pessoas pareciam formigas vindas de todas as direções. Quase todas eram gente pobre, com vestes sujas ou esfarrapadas. No entanto, era possível também enxergar abastados, pois estes vinham em liteiras ou cercados de empregados para os servir. Martha, Ruth e Míriam, as irmãs do Mestre; Míriam, sua mãe, e Míriam, sua esposa, também estavam ali. Tinham acompanhado toda a caminhada, mas eram as últimas do grupo, pois não conseguiam acompanhar o passo acelerado de Yehoshua. O Mestre esperou que elas se sentassem ao seu lado e bebessem a água que João lhes servia. Estavam sedentas. Yehoshua também notou que os homens, na multidão que se aproximava e se espalhava ao redor, buscavam obter os melhores lugares, os mais próximos dele e de seu grupo, e não se pejavam de empurrar com grosseria as mulheres, principalmente aquelas que traziam filhos nos braços. Muitas choravam e se desesperavam por não conseguirem chegar bem próximo de Yehoshua. Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO (CXII): YEHOSHUA PROVOCA DISCUSSÕES ENTRE O POVO

Deixe um comentário

Senador Romano em sua roupagem

Abel errou quando pensou ser capaz de bater-se em esperteza com o Senador Romano.

É domingo e Cafarnaum fervilha com os comerciantes ambulantes. Mas agora há um assunto novo, principalmente entre os hebreus e este assunto que polariza a atenção de fariseus e saduceus é o Deus de bondade que Yehoshua vem apregoando por todo lugar por onde passa. Devido aos milagres que ao seu redor acontecem aos montes, o povo anda muito inclinado a abdicar do Jeovah sanguinário, vingativo e discriminador. Mas não é só entre os hebreus que grassa a discussão sobre o desconhecido Deus de bondade que Yehoshua prega. A discussão é bem maior entre os goins. Eles também confrontam seus deuses com o Deus de Yehoshua e o choque entre estas entidades são fortes. 

Yoseph

Os trajes sempre foram os distintivos das classes sociais entre os humanos.

Caminhando lentamente por entre o povaréu, Abel aguça os ouvidos para ouvir o que é dito e seu coração está disparado, sua garganta seca e suas mãos suadas de ansiedade. Ele acredita que está coberto de razão. Yehoshua é mil vezes mais perigoso do que os rabis do Templo em Jerusalém podem suspeitar. Espertamente ele exerce seu ministério longe da capital e quase sempre não se serve de sinagogas. Quando faz isto é para jogar em ridículo qualquer rabi que esteja no parlatório cumprindo com seu dever. O destino de Abel é a mansão de Pôncio Pilatos onde está hospedado o Senador de Roma. Quer encontrar-se com o homem para avaliá-lo e às suas intenções com relação ao encontro com o agitador. Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO (CXI ): YEHOSHUA DESAFIA O RABI

Deixe um comentário

Abel era um rabi cego e aguerrido adversário de Yehoshua.

Tu não és bem-vindo à minha leitura! ─ Gritou Abel, dedo em riste, olhos flamejantes de ira. ─ Tu e teus seguidores insultam o Templo e seus rabis! Tu e teus seguidores desfiguram as escrituras! Todos vós devíeis ser presos!

Yehoshua continuou sua caminhada em total silêncio, mas com um sorriso divertido na face. Os que o observavam ficavam confusos com aquele riso estranho, mas alguns começaram a também rir por empatia. O Rei dos Reis subiu ao parlatório e sem qualquer cerimônia empurrou Abel para o lado. Este tentou resistir, mas a força do jovem era bem superior à sua. Tentou, então, uma retirada, mas a mão poderosa de Yehoshua segurou-o pelo braço e o obrigou a permanecer ali, ao seu lado.

— O que queres comigo, maldito? — A face de Abel estava vermelho apoplético. Parecia que ia infartar. Mais

Older Entries