RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – CXXV: ENSINANDO SOB TRAUMA.

Deixe um comentário

A VERADEIRA FACE DE JESUS...

O que ninguém diz é o quanto o Senhor teve de trabalho para quebrar em seus escolhidos os maus vícios de uma cultura de pedra.

Madrugadinha. A alva do alvorecer apenas roseava o horizonte. Uma brisa fria fazia que as pessoas em Nazaré quisessem ficar mais um pouco no aconchego de suas camas. Yehoshua levantou-se, fez suas abluções e subiu para o teto da casa, onde dormiam os doze. Com o pé ele cutucou um a um e ordenou que se aprontassem para o acompanhar. Ninguém ingeriria nenhum alimento nem beberia nem uma goda de água ou qualquer suco. Jejum completo. Apenas deviam lavar o rosto, as mãos, os pés e as axilas. Deviam vestir roupas lavadas, ainda não usadas. E tudo tinha de ser feito bem depressa.

Todos estavam prontos em menos de 15 minutos e o grupo saiu seguindo, curioso, o Senhor. Yehoshua embrenhou-se pela mata andando tão depressa que os apóstolos tiveram de dar pequenas corridas para o acompanhar. Chegaram a uma clareira longe das veredas por onde costumavam transitar os moradores da pequena vila. Árvores de pequeno porte cercavam o lugar, descampado. Yehoshua ordenou que todos se sentassem em círculo e ele mesmo tomou assento entre seus apóstolos. Quando todos estavam quietos e expectantes, ele falou. Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – CXXIV: A IRA DE ISH QERYOTH (II).

Deixe um comentário

APÓSTOLO PEDRO - SIMÃO BARJONAS

O Discípulo Rebelde sempre esteve sob a atenção de Nosso Senhor, e isto o punha desorientado.

Ish Qerioth chegou à casa de Ruan. Era um casebre pobre. Duas crianças, meninos, brincavam na porta, enquanto três outras crianças, meninas, ajudavam a mãe nos afazeres domésticos. Yehudah Ish Qerioth chamou Ruan com voz alta e raivosa. A mulher acudiu pressurosa e quando se deparou com o homem diante de si, olhar chamejante, de onde parecia sair chispas de raiva, tremeu e se apoiou no portal para não cair. Com voz trêmula ela murmurou, em resposta à pergunta do sicário, ao qual já conhecia, embora nunca lhe tivesse dirigido a palavra.

— Meu senhor ish Qeryoth, o que desejais com… com meu marido? — A voz da mulher soava fraca e trêmula.

— Vim matá-lo. Mas não temas. Não tenho nada contra ti e teus filhos. Só contra o desgraçado de teu marido. Não temas. Não te deixarei abandonada. Minha família é rica e eu posso dar-te o sustento que tu e teus filhos merecem.

— Mas… Senhor, por que desejais matar o pobre Ruan? O que ele vos fez de tão mau assim? Mais

O TARÔ AJUDA NO ESFORÇO PARA ESCAPAR DO SAMSARA? (VI)

Deixe um comentário

Arcano nº 1 – Mostra a situação crítica ou não, do consulente do jogo.

Bom, você, que se interessa pelo Conhecimento sem peias nem meias, já deve ter avançado alguma coisa na sabedoria do Velho Egito. Não que o Tarô tenha nascido naquele país e num passado longínquo. Na verdade, muito antes de Yehoshua surgir na Palestina, o Tarôt já era conhecido entre os povos de antigamente. Não na forma como nós o temos ao alcance das mãos, atualmente. Mas sua simbologia já era conhecida, pois ela é arquetípica, isto é, está além da Forma, além da Matéria, além da mente física imaginativa e criativa. Vamos, então, continuar. Só para terminar o estudo da Primeira Parte ou Parte Superior do Arcano nº 1, falta falar sobre os Chakras ou Vórtices de Luzes Superiores que dominam esta parte do Corpo Humano. São eles: Sahasrara ou chakra coronário, no alto da cabeça. É o chakra da Iluminação Espiritual. Por ele, no homem que alcançou o grau de Iniciado, nada desce das esferas superiores para o Espírito encarnado, mas sobem as luzes que indicam que o Espírito encarnado despertou e é pleno senhor da Matéria e de sua Vontade. Quando o Iniciado passa ao Grau de Arhat, então, começam a lhe chegar pelo Sahasrara os influxos dos Budhas. Um iniciado tende a viver em reclusão, mergulhado em meditação transcendental e alheio ao mundo material, preparando-se para o contato com o Mundo ou Plano Búdico.

O chakra Ajna ou frontal, do qual já falei alguma coisa. Este chakra domina e gerencia o desenvolvimento da Terceira Visão. Na Contra-Parte Etérica do nosso corpo físico ele domina e regula o funcionamento e a saúde das duas principais glândulas de nosso sistema hormonal, a pituitária e a hipófise.

Finalmente o chakra Vishuddha, ou Laríngeo. Este chakra domina e regula a glândula Tireóide, a Personalidade e a saúde auditiva, bucal e nasal; além disto, regula a resultante das emoções na expressão da combinação entre Emoção e Pensamento, ou seja: a fala. Uma pessoa de emoções e instrução baixas, tende a ser coprolálico, isto é, fala muitos palavrões. A resultante deste mau hábito sobre os corpos físico-denso e Etérico é regulado por este chakra. Mais

O TAROT AJUDA NO ESFORÇO PARA ESCAPAR DO SAMSARA? (VI)

Deixe um comentário

Eu sorrindo

Só rindo para não chorar. Como é que pode?

Bom, antes de continuar com nosso estudo do Baralho Tarô, quero contar um incidente que me aconteceu hoje, pela manhã. Saí para andar com minha cadela ruskie como tenho feito todo dia pela manhã cedinho. E eis que uma conhecida me pára na rua para me recriminar. Ela me disse: “Leio quase todos os seus posts, no seu blog. Nem sempre concordo com o que o senhor escreve. A maioria são heresias sobre Jesus. Um absurdo! Agora, o senhor resolveu escrever sobre uma coisa demoníaca. Falo de seus posts sobre o baralho Tarô. Isto é coisa do demônio. O senhor não se envergonha de escrever sobre estas coisas amaldiçoadas?”  Trata-se de uma senhora que sempre me foi muito simpática, embora não tenhamos qualquer relação de amizade. Somos apenas conhecidos. Geralmente quando passo diante de sua casa ela está ao portão e me acena amigavelmente. Este é nosso grau de conhecimento. Então, decidi que ela merecia uma cutucada e não deixei por menos.

— Coisa do Demônio, a senhora diz. Deve ser evangélica, não? — Perguntei com um sorriso malicioso. A mulher fechou a carranca e me respondeu com voz altissonante:

— Sou, sim senhor. E com muito orgulho!

— Ah… Que bom! Então, se escrevo sobre coisas do Demônio, escrevo sobre coisas de Deus, pois o Demônio também é de Deus. Pergunte ao seu pastor! Ele sabe do que falo. Passar bem, senhora.

E antes que ela pudesse-me dizer algo mais saí andando com minha ruskie, que puxa a guia com uma força admirável. Nem olhei para trás, pois temia ver minha conhecida tendo um ataque epiléptico. Coitada. Escrava de algum pastor espertalhão. Caminhava me lembrando da sentença de meu maravilhoso irmão: “Deixai que os cegos guiem os cegos”. Mais

O TAROT AJUDA NO ESFORÇO PARA ESCAPAR DO SAMSARA? (V)

2 Comentários

Óia nóis aqui travêz! Entonce, vamo lá, vamo?

Bom-dia, pessoal. Vamos continuar estudando o ARCANO NÚMERO 1 DO TARÔ. Arcano quer dizer MISTÉRIO, você sabia? Se não, então agora sabe. Vamos lá. Paramos na parte superior da carta número um. A parte que corresponde ao crânio, ao cérebro, tanto o visceral, físico-químico, quanto o intelectual, onde acontecem os processos misteriosos do pensamento, da associação de idéias, das inferências e deduções, das conclusões e tomadas de decisão.

Você já deve ter reparado que esta carta é dividida em três partes. Uma superior, uma intermediária e a última, inferior. Do teço superior eu acabo de falar. Mas ainda vamos permanecer dentro dele. Chamo, agora, sua atenção para o fato de que um Dilema é também composto de três partes: [mão(+)]<—>[seu corpo(-/+)]<—>[mão(-)]. Faltou ainda dizer uma coisinha (que não é nada simples) no post anterior sobre a parte superior deste ARCANO representado na Carta número UM do Tarô. Nesta parte, que estamos estudando, chamei a atenção para o candelabro tridente. Ele também representa OS DILEMAS que a pessoa enfrentará durante toda a sua vida enquanto ser social. Veja como a carta é perfeita: Ela tem dois olhos, que representam sua capacidade psicológica de perceber, apreender e ENXERGAR as forças antagônicas de um Dilema (ou seu binário); e tem um tridente ou candelabro triagni, que representa seus processos de pensamento e de decisão. As três partes em que a carta está dividida significam: a) sua Mente Pensante ou sua Personalidade: b) seu corpo físico instintivo; animal; c) sua capacidade sexual (note: capacidade de sentir prazer. Sexo nunca é sinônimo de coito, visto que o coito pode ou não ser sexual, isto é, prazeroso). A Mente Pensante contém os dois olhos de Horus; a mente instintiva contém o Mago, símbolo do homem em ação; a Mente impulsiva está sob os pés do Mago, no Chakra Muladhara ou Básico. E note que sob os pés do mago, enterrado no solo (o Inconsciente Coletivo a que se referiu Karl Gustav Jung) está um cubo (o Inconsciente Individual, fruto dos processos perceptivos e cognitivos, processos esses dinâmicos, mutáveis e altamente desestruturantes). Este cubo está dentro do solo ou seja, o Inconsciente Pessoal está mergulhado no Inconsciente Coletivo, a força primitiva arquetípica estudada por Carl Gustav Jung. No solo há um cubo que, entre outros simbolismos, significa o aprisionamento do Mago ao domínio da força sexual coital e ao apego escravizante ao material.  Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – CXXIV: A IRA DE ISH QERYOTH.

Deixe um comentário

A aparência dos rabis sempre foi semelhante através dos tempos. Abel tinha uma aparência similar à deste rabi.

Abel estava a caminho de Jerusalém sob a guarda de David, o amigo do discípulo rebelde. Ia cheio de revolta e maus pensamentos contra o Justo dos Justos. Não sabia do que haviam feito seus parceiros de pregação. Se soubesse, não estaria tão despreocupado, pensando que não havia perigo para si.

Enquanto isto, Ish Qeryoth e seus parceiros se espalhavam por Nazaré à procura do coxo e do gordo que deviam estar bebendo em algum lugar. Começaram pelas tavernas, mas não os encontraram ali. Então, passaram a indagar de quantos podiam sobre um grupo de seis elementos no qual se podia contar com um coxo e um gordo manco. Não demorou para que alguém identificasse os dois. Um homem adulto, barbudo e atarracado disse a Caleb que sabia quem eram os dois. O coxo se chamava Jonathan e o gordo, Ruan. Eram bandidos assaltantes que perambulavam pelas vilas das redondezas em companhia de mais quatro. Os romanos já os tinham sob a mira de seus piluns e um dia qualquer eles seriam presos. Ruan morava fora da aldeia e, nas horas em que não estava cometendo crime, era pastor. Sua casa ficava próxima de Caná. A informação foi passada a Ish Qeryoth, que se pôs em marcha em busca da residência de Ruan. Mais

Older Entries