VAMOS CONTINUAR PAPEANDO SOBRE PARTIDO POLÍTICO

Deixe um comentário

agressividade-infantil

Resultado do desmantelamento da Disciplina, do Respeito Cívico e da Família. Um trabalho “duro” dos políticos brasileiros. É por isto que escrevo para combatermos o estado de desenvolvimento mínimo em que fomos jogados.

Não faço a mínima idéia se o que informo aqui surte algum efeito nos poucos brasileiros que me lêem. E digo poucos porque se uma desmiolada qualquer se mostra quase pelada em fotos, exibindo maquiagens e roupas esquisitas; ou se um esganiçado que pensa que é cantor e, pior, compositor, coloca no FACE berros horrorosos, com alguns palavrões como recheio e movimentos coitais deselegantes, tudo acompanhado dum visual vampirescos, o sucesso é imediato. Ambos alcançam mais de um milhão de visualizações. “Viralizam”, diz-se no moderno e esfarrapado falar nacional brasileiro. Um “seucelso!”. Ocorre a mesma coisa se se publica cenas de crueldade explícita contra animais. A revolta é como um incêndio. Talvez porque no inconsciente dos brasileiros há o alarma de que estamos, todos, sendo forçados a regredir a este estado primitivo… A população não mais sabe se expressar por escrito. Pensa uma coisa e escreve de modo que sua mensagem é confusa e desconexa. Agradeçamos isto aos polititicas que desprezam a nossa Educação Escolar, pois a Educação Escolar de seus filhos, graças ao nosso dinheiro público, é a mais esmerada e geralmente acontece no exterior, que eles não são bestas de arriscar educá-los nas escolas depredadas e com molecada animalizada. Mais

TERRORISMO: POR QUE? EM NOME DE QUÊ?

Deixe um comentário

Terrorista estúpido

“Eu me imolei, mas consegui mais adeptos do que o tal Jesus de vocês. E viva a Violência gratuita”.

Tenho escrito muito sobre a maravilhosa vida de Yehoshua. Ele não cativa muito. Embora se diga que o Brasil é um país de cristãos, começo a pensar que tipo de cristianismo vige entre nós. Vin Diesel, um dos mais furiosos propagadores da violência inútil, tem mais fãs que Ele. O terrífico produto de uma mente doente e conhecido como 007, então, nem se fala. É um Deus fabricado pela Violência estúpida cinematográfica? Então adquire imediatamente milhões de seguidores. Talvez os tresloucados suicidas-assassinos que se dizem praticantes do Islã consigam mais adeptos que o Salvador. Irônico… Será que o cinema norte-americano, onde os atores se esmeram em viver pelo pênis de aço com orgasmos de chumbo, tem a responsabilidade por isto?

Divagando um tiquinho, particularmente eu creio que quanto mais o ser humano banaliza o ato mais sagrado que Deus nos deu, a cópula, mais desesperado fica em seu íntimo por esta prostituição estúpida. Sem a sacralização do coito amoroso a família se desagrega. As mulheres se tornam mais promíscuas que os machos de nossa espécie. Com a “liberdade de ter orgasmos” sem a preocupação com gravidez indesejada, elas se atiraram numa competição totalmente imbecilizada: saber quem tem mais camas de motel nas costas, enquanto os homens pelejam para se medir pelo tamanho do pênis e pela suposta e totalmente errada ilusão de saber quem mais fez mulheres gozarem dominadas por eles. Quanta estupidez! Maior que esta, só os suicídios dos tresloucados. E eu me pergunto: os que analisam o terrorismo mundial estão levando em consideração esta frustração global no ato mais delicado da vida humana? Pois que há um componente sexual (frustrado) nos suicidas assassinos, há sim. Mais

O RIO DE JANEIRO CONTINUA… LINDO? UMA OVA!

Deixe um comentário

Assim era o carioca. Ainda é assim, mas esta espontaneidade está reprimida pelo MEDO e pelo SOFRIMENTO.

Assim era o carioca. Ainda é assim, mas esta espontaneidade está reprimida pelo MEDO e pelo SOFRIMENTO.

Uma cidade é maravilhosa não somente pela sua situação geográfica e pelas dádivas naturais que a Mãe Natureza lhe deu, mas também e principalmente pelo povo que nela vive. O Rio de Janeiro foi lindo, sim, mas há tanto tempo que parece já fazer um século. Não que o carioca não continue mantendo em seu íntimo aquele modo alegre de viver, aquela jovialidade na interação humana, aqueles braços abertos para o adventício. Ele continua nascendo com tudo isto de presente tanto do local geográfico mesmo, quanto da herança cultural inserida em sua genética. Não, quiçá, na genética física, estudada, esmiuçada e fuçada pelos pesquisadores científicos, mas naquela genética cultural, mental e emocional que impregna até a atmosfera que se respira. Em nenhuma parte do Brasil há um povo mais hospitaleiro, mais alegre, mais jovial que no Rio de Janeiro, mesmo depois de nossa gente ter descambado para o animalismo sem controle, sem freios, feio, degradante da condição humana e comportamentalmente repulsivo. Mais