RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – CXXIV: SEGUNDA LIÇÃO DE HUMILDADE, DO SENHOR.

Deixe um comentário

Yehoshua o doutrinador

Nunca houve professor mais inflexível e, simultaneamente, mais companheiro que Ele. Teve de ser muito duro com aqueles que escolhera para seus Apóstolos, pois eles eram antes de tudo, hebreus. E um Apóstolo do Senhor não podia ter apego a pátrias e valores tolos.

Fazia três semanas que o Senhor estava sumido. Não aparecia nas praças, não aparecia em casa, não aparecia nos morros onde costumava pregar. Os rabis itinerantes estavam cheios de esperança de que logo viesse a notícia de que ele tinha sido assassinado por algum sicário chocado com suas pregações que sempre continham alguma coisa contra o Templo e seus rabinos. Os doze cumpriam rigorosamente o que o Senhor havia determinado, mas sempre ocorria discussão e má vontade quando se tratava de se escolher quem devia limpar a fossa da casa de Míriam de Nazaré, principalmente porque Ruth lhes dissera que o irmão havia deixado a ela a tarefa de fazer que a fosse limpada a cada sete dias. Limpar uma fossa, mesmo que não estivesse cheia de excrementos, era repugnante. A pessoa devia retirar o excesso daquilo com baldes e ir despejar a carga num buraco cavado na mata. Depois de tirar o máximo de sujeira, a pessoa tinha de descer na fossa e raspar o fundo e as paredes, de modo a deixá-la mais livre da caca. Como se não bastasse, a limpeza de toda a casa, do quintal e da frente da moradia tinham de ser levada a efeito pelos homens do Senhor. Mais

RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – CXXV: ENSINANDO SOB TRAUMA.

Deixe um comentário

A VERADEIRA FACE DE JESUS...

O que ninguém diz é o quanto o Senhor teve de trabalho para quebrar em seus escolhidos os maus vícios de uma cultura de pedra.

Madrugadinha. A alva do alvorecer apenas roseava o horizonte. Uma brisa fria fazia que as pessoas em Nazaré quisessem ficar mais um pouco no aconchego de suas camas. Yehoshua levantou-se, fez suas abluções e subiu para o teto da casa, onde dormiam os doze. Com o pé ele cutucou um a um e ordenou que se aprontassem para o acompanhar. Ninguém ingeriria nenhum alimento nem beberia nem uma goda de água ou qualquer suco. Jejum completo. Apenas deviam lavar o rosto, as mãos, os pés e as axilas. Deviam vestir roupas lavadas, ainda não usadas. E tudo tinha de ser feito bem depressa.

Todos estavam prontos em menos de 15 minutos e o grupo saiu seguindo, curioso, o Senhor. Yehoshua embrenhou-se pela mata andando tão depressa que os apóstolos tiveram de dar pequenas corridas para o acompanhar. Chegaram a uma clareira longe das veredas por onde costumavam transitar os moradores da pequena vila. Árvores de pequeno porte cercavam o lugar, descampado. Yehoshua ordenou que todos se sentassem em círculo e ele mesmo tomou assento entre seus apóstolos. Quando todos estavam quietos e expectantes, ele falou. Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – CXXIV: A IRA DE ISH QERYOTH (II).

Deixe um comentário

APÓSTOLO PEDRO - SIMÃO BARJONAS

O Discípulo Rebelde sempre esteve sob a atenção de Nosso Senhor, e isto o punha desorientado.

Ish Qerioth chegou à casa de Ruan. Era um casebre pobre. Duas crianças, meninos, brincavam na porta, enquanto três outras crianças, meninas, ajudavam a mãe nos afazeres domésticos. Yehudah Ish Qerioth chamou Ruan com voz alta e raivosa. A mulher acudiu pressurosa e quando se deparou com o homem diante de si, olhar chamejante, de onde parecia sair chispas de raiva, tremeu e se apoiou no portal para não cair. Com voz trêmula ela murmurou, em resposta à pergunta do sicário, ao qual já conhecia, embora nunca lhe tivesse dirigido a palavra.

— Meu senhor ish Qeryoth, o que desejais com… com meu marido? — A voz da mulher soava fraca e trêmula.

— Vim matá-lo. Mas não temas. Não tenho nada contra ti e teus filhos. Só contra o desgraçado de teu marido. Não temas. Não te deixarei abandonada. Minha família é rica e eu posso dar-te o sustento que tu e teus filhos merecem.

— Mas… Senhor, por que desejais matar o pobre Ruan? O que ele vos fez de tão mau assim? Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – CXXII: RUTH É ATACADA

Deixe um comentário

Yehoshua o doutrinador

Yehoshua sabia de tudo o que acontecia em seu tempo. Mesmo nos mais mínimos detalhes. Mas procurava não interferir senão com o que estava traçado para isto.

Yehoshua caminhava despreocupado, quando Gabriel se materializou ao seu lado, sempre trajando uma roupa de guerreiro prateado. O Mestre não se dignou a olhá-lo. O arcanjo, no entanto, continuou andando com ele por alguns metros em silêncio. Então, decidiu falar.

— Sabes que tua irmã caçula corre sério perigo, não sabes?

— Sim, sei. Por que me perguntas isto?

— Porque neste exato momento um grupo de rabis itinerantes, aos quais tu provocaste, está reunido com alguns bandidos tramando um modo de te atingir.

— Gabriel — ripostou o Mestre olhando para o Arcanjo — Sei o que faço, porque faço e para quê faço. Então, por que tu te dás ao trabalho de vir-me contar o que eu já sabia de antemão?

— Não me agrada que a jovenzita apanhe por causa de teus planos… soturnos, se me permites a expressão.

— Não são soturnos, Gabriel. A Humanidade merece uma chance. Está começando para ela um longo período de dores e rangeres de dentes. Eu vim tentar fazer que vejam a Verdade. Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO (CXIV): CONTRARIEDADE

Deixe um comentário

O Rei dos Reis às vezes se entristecia pela dificuldade do povo em assimilar seus ensinamentos.

O Senhor, como agora os apóstolos o chamavam, encaminhou-se para o morro onde o povo já se acostumara a ouvir-lhe as palavras e, mais que isto, a obter curas para seus males físicos. Yehoshua não gostava desta última condição e o dizia insistentemente aos seus seguidores. “Não é o corpo o que importa”, dizia enfático, “mas sim o Espírito. Não é a Alma mortal o que importa, mas sim o Espírito. Quando será que ireis entender minhas palavras?” Mesmo os mais letrados nas Leis hebraicas tinham dificuldade de compreender o que insistentemente Yehoshua tentava lhes ensinar. Espírito, Alma e Corpo lhes pareciam uma única criação de Yaveh. O Reino pelo qual eles esperavam não se encontrava além do limite de seus cinco sentidos. Por isto acreditavam piamente que aqui, neste mundo, dentro desta terceira dimensão, após o Juízo Final, os hebreus, por serem o povo escolhido de Yaveh, herdariam a Terra e seus tesouros. Todos os outros povos tinham a obrigação de se curvarem diante de um hebreu, estivesse ele onde estivesse que não em território hebraico. Este pensamento era a raiz da fé dos hebreus e mesmo o Filho do Homem não conseguia abalar tal crença. Mais

MANIFESTO DO PARTIDO BRASILEIROS DA ORDEM E DO PROGRESSO (PARTE I)

Deixe um comentário

 

"Ama com Fé e Orgulho a Terra em que nasceste; criança, não verás nenhum país como este..."

“Ama com Fé e Orgulho a Terra em que nasceste; criança, não verás nenhum país como este…” (esta foto, colhida na Internet, é do MundoImagem e foi por nós escolhida porque simboliza muito bem nosso país em sua atualidade. Nossos ideais se prendem a um mastro frágil, como se prende nosso símbolo maior, na foto acima).

Nosso Lema: Ordem e Progresso sem crime de lesa-pátria em qualquer nível da representatividade do Poder Público, o Poder do povo brasileiro.

Nossa Diretriz Fundamental: “Todos são iguais perante a Lei, inclusive os Políticos”.

Nossa Luta: Pelo Brasil acima de tudo; Pela Justiça; Pela Verdade; Pela Honestidade e pela Liberdade com limites democráticos, sociais, familiares e, acima de tudo, no respeito às manifestações individuais ou coletivas. 

Nossa Base de Luta: Um Brasil livre de corrupção, de corruptores e sem criminalidade de qualquer espécie, combatendo sem tréguas Partidos Políticos que endossem ideologias tendenciosamente tirânicas e ideologicamente oligárquicas.

Nosso Objetivo Primordial será Instituir uma Constituinte que aprove uma nova
Constituição Brasileira onde o ideal principal seja o bem-estar e a segurança da Nação Brasileira.
Mais

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO (CXI ): YEHOSHUA DESAFIA O RABI

Deixe um comentário

Abel era um rabi cego e aguerrido adversário de Yehoshua.

Tu não és bem-vindo à minha leitura! ─ Gritou Abel, dedo em riste, olhos flamejantes de ira. ─ Tu e teus seguidores insultam o Templo e seus rabis! Tu e teus seguidores desfiguram as escrituras! Todos vós devíeis ser presos!

Yehoshua continuou sua caminhada em total silêncio, mas com um sorriso divertido na face. Os que o observavam ficavam confusos com aquele riso estranho, mas alguns começaram a também rir por empatia. O Rei dos Reis subiu ao parlatório e sem qualquer cerimônia empurrou Abel para o lado. Este tentou resistir, mas a força do jovem era bem superior à sua. Tentou, então, uma retirada, mas a mão poderosa de Yehoshua segurou-o pelo braço e o obrigou a permanecer ali, ao seu lado.

— O que queres comigo, maldito? — A face de Abel estava vermelho apoplético. Parecia que ia infartar. Mais

Older Entries