"Caramba, cara, esta sujeira não vai ter fim, não?"

“Caramba, cara, esta sujeira não vai ter fim, não?”

Não é que um governo seja igual ao outro. O que acontece é que o SISTEMA PODRE DE SE PRATICAR POLÍTICA não mudou nem uma vírgula como resultado desta grande barafunda em que nos lançaram os desgovernos petralhas de Lula e Dilma. Vejam só este exemplo: há em Goiânia (e no Rio, e em São Paulo e em todas as cidades brasileiras) um sistema comercial de compra e venda de votos que absolutamente em nada foi alterado. Fala-se nele amplamente. Escreve-se sobre eles em todos os jornais e revistas do país. Mas nunca é efetivamente combatido. Pessoas há que durante as eleições se dedicam integralmente a trabalhar para um candidato, que lhe paga, evidentemente, comprando votos de quantos puderem convencer a vendê-los. Ora, é justamente esta população que grita e esperneia e vai às ruas contra o “status quo” que está aí, nos desmoralizando para o mundo todo (para nós não há desmoralização, senão que a manutenção pétrea do vício da corrupção). E isto está quase bem claramente expressado nos jornais daqui. Em Goiânia ainda vige com força o coronelismo do assassinato, quando um político se vê ameaçado pelo cidadão que esperneia contra a roubalheira entronada no Poder. Há uma pequena nota no meu Face, que postei outro dia, e que se constitui em um questionamento à população sobre se alguém já viu algum diretor de OS dando entrevista; se alguém sabe onde se encontra tal ou qual OS fisicamente instalada e à qual o Governo de larápios transfere as verbas estaduais para que cuidem da exploração dos serviços essenciais que é dever do Estado prestar aos cidadãos. Ninguém respondeu às perguntas que ali fiz. E isto é porque até hoje, a maioria esmagadora de nossa população não faz idéia de onde se escondem os que devem trabalhar na Diretoria de tais Organizações. São como fantasmas. São como os Diretores das empresas de telefonia. Você não vai jamais conseguir entrar em contato com um Diretor ou Administrador da TIM, por exemplo. Eles não estão no país. Mas as diretorias das tais OS deveriam estar aqui. No entanto, a pergunta é: Onde? Mais