PARNAÍBA, 29 DE AGOSTO DE 1822

145 Comentários

As ruas parnaibanas ficavam sempre alagadas quando as chuvas eram fortes.

As ruas parnaibanas ficavam sempre alagadas quando as chuvas eram fortes.

O dia amanhecera nublado, como nublada estava a mente do coronel Simplício Dias da Silva. Chovera a noite toda, de 28 para 29 de agosto. Com a carta de Bonifácio em mãos, ele se recordava da história que se vinha desenrolando cada vez mais tensa, cada vez mais surpreendente pelos rumos tomados devido a decisões inopinadas e inesperadas. E tudo, para o Brasil como país livre da coroa portuguesa, começara com o famoso dia do Fico.O projeto do deputado Fernandes Torres, que propunha que a freguesia do Pará-Maranhão passasse a ser chamada de Província de Portugal, aprovado em 5 de abril de 1821, tinha jogado por terra a tentativa de deputados brasileiros chegarem a Portugal a tempo de contestá-lo e impedir sua aprovação. Aquilo não prestou. Era uma tentativa de esquartejar o Brasil, minando, deste modo, o poder do Príncipe Regente, Dom Pedro I. As decisões da Corte Portuguesa, que interessavam os interesses brasileiros, levavam meses para atravessar o oceano. Daí que só no dia 9 de dezembro de 1821 foi que o navio Infante Dom Sebastião atracou no Rio de Janeiro com a notícia bomba de que as repartições governamentais portuguesas no Brasil seriam fechadas. Além disso, trazia uma ordem expressa a Dom Pedro, mandando que retornasse a Portugal. Isto pôs o Rio em pé de guerra.  Mais

SE A GENTE É TRAÍDO POR QUEM AJUDA, PERDOA?

Deixe um comentário

Pomba-gira das sete saias. Um espírito (Egum, no Candomblé) que vive no Umbral ou Baixo Astral. Ainda está muito apegada aos vícios carnais.

Orozimbo sentou-se ao meu lado, no automóvel, em silêncio. Estávamos vindo do encontro com uma senhora famosa por seu trabalho espiritual. Ano passado, lá pelos idos de setembro, eu estivera lá, levado por um senhor que é muito meu amigo. A mulher atende em uma casa que lembra um túmulo. Só que a casa tem cinco metros de pé direito, é estreita, coisa de 4,50 metros de largura, mas é profunda, algo em torno de 10 metros. Ao longo de toda a parede esquerda e estendendo-se na parede do fundo do “túmulo” há um balcão de cimento, à altura de 1,00 metro do chão de terra batida. Sobre o balcão, começando perto da porta de entrada e indo por toda a parede esquerda e estendendo-se na parede do fundo da construção encontram-se todos os santos católicos de mistura com todas as entidades do Candomblé e da Umbanda. Tem caboclo, tem exu, tem pomba-gira, tem são Tomaz de Aquino, tem São Jerônimo  tem São Sebastião, tem São Francisco de Assis, tem Nossa Senhora da Glória, tem Jesus e vai por aí. Exus e Pombas-gira ficam debaixo do extenso balcão. Há velas espalhadas ao longo do balcão, em cima e em baixo, na terra nua que é o piso do lugar. Não lhe perguntei que estilo de espiritismo adota. Já vi tantos e tão variados que já não me interesso nem fico curioso com mais nada.

Meu amigo me levou a ela porque o pau estava quebrando violentamente aqui em casa. Eu e minha “sem-sorte” não estávamos (e ainda não estamos) nos entendendo e sou um homem mais teimoso que uma mula. Quando empaco, só Deus na causa. Mais

CONSIDERANDO O PECADO…

7 Comentários

Muitas vezes as tempestades de nossas vidas são desencadeadas aos montes em um relacionamento conturbado.

Orozimbo chegou bem cedo, como era seu costume. Entrou, abancou-se, pediu café e pão, acendeu seu indefectível cachimbo e depois de tomar o café e comer o pão, passou a pitar pachorrentamente, olhar perdido ao longe. Deixei-o lá fora e fui cuidar de meu almoço. Eu ia sair para a academia onde faço musculação. Ele decidiu me seguir e tive de ir a pé, conversando com o velho.

— Vancê soube qui aquele casal qui veio aqui trazido pelo pade Felício, se separô? Adispois de uvi vancê, a muié ficô doidona. Num arredô o pé e se separô do marido. Mas o qui mais ispantô este véio foi que o pade num se incomodô, nhor não. Ele inté tá servindo de amparo para o marido da dona, qui despencô feito manga madura. Véio num intendeu nadica de nada, num sabe? Ô cabra frouxo, sô! Se uma diaba qué ir imbora, qui vá, ora! Pru qui é qui o home tem de ficá de jueio choramingando feito bebê desmamado? Mais

A CAPTURA DE VAN ENGELEN

6 Comentários

O delta do Parnaíba, em Parnaíba, abre-se em vários braços que são verdadeiros rios.

O delta do rio Parnaíba, em Parnaíba, abre-se em vários braços que são verdadeiros rios.

Rutger, o braço direito de Van Engelen, saiu da casinha do albergue insignificante, onde seu chefe, o temido pirata holandês permaneceu esperando. Chovia forte naquela noite em Parnaíba. Envolvido em uma capa escura que também lhe cobria a cabeça, correu encostado às paredes das casas que se uniam umas às outras no longo quarteirão escuro, como se, medrosas e friorentas, tentassem se esquentar naquela noite particularmente fria. Quase ao mesmo tempo uma patrulha surgiu na esquina. Todos os dez patrulheiros vinham cobertos com capas pretas, de modo que Rutger nem os viu nem os ouviu, pois o ruído da chuva nos telhados e nas copas das árvores era forte, além da escuridão que reinava àquela hora. Além disto, o ruído da água correndo entre as pedras do calçamento também encobria os passos dos soldados. Mais

QUEM NUNCA COMEU MEL, QUANDO COME SE LAMBUZA…

7 Comentários

Pensa, Lulão, pensa mesmo. Um dia, quem sabe? Você vai conseguir ir além da lenga-lenga marxista-leninista que por toda sua vida lhe dirigiu passos, emoções e pensamentos...

Pensa, Lulão, pensa mesmo. Um dia, quem sabe? Você vai conseguir ir além da lenga-lenga marxista-leninista que por toda sua vida lhe dirigiu passos, emoções e pensamentos…

Verdade verdadeira, gente. “Nosso” Lulão deslumbradão, quando sentou na cadeira da Presidência da República do Brasil pensou que era maior que o maior imperador que já houve na Terra. E não teve mãos a medir no que diz respeito a conceder privilégios a parentes, amigos, amigos de amigos, corruptos e corruptores. Foi aquele festival de benesses. Se o capeta, visto que se veste de vermelho, tivesse entrado na fila, mesmo fedendo a enxofre e portando chifre e rabo teria ganhado um passaporte especialíssimo “por interesse do país”. Será que você sabia mesmo quais são os interesses do nosso país, Lulão? Não, meu camarada, não é isso aí que está pensando. Os interesses do nosso país não se resumem àqueles ditados pela CUT ou pela FORÇA SINDICAL e até essas agremiações de trabalhadores sabem disto. Só você é que parece que não sabia e continua não sabendo, camarada Lula. Que lástima…

Puxa, Lulão, você não podia ter embarcado nesta, camarada. Você batalhou feito um leão para chegar no ápice e aí… despencou feito jaca madura e se esborrachou no chão. Agora, os membros da dupla satânica estão babando de felicidade: você está mais por baixo que fio-fó de cobra, meu camarada. E eles estão doidinhos, doidinhos para sentar seus fundilhos na tampa de uma frigideira política. E acho que vão conseguir… Mais

E A CANETA DA VOVOZONA ESTÁ TRABALHANDO À TODA!

8 Comentários

"Ptzgrila! A Dilma está descendo o malho! Eu, hein! Eu não teria sua coragem. O Brasil é como areia movediça. Quem está por cima, hoje, com certeza ficará por baixo, amanhã"

“Ptzgrila! A Dilma está descendo o malho! Eu, hein! Eu não teria sua coragem. O Brasil é como areia movediça. Quem está por cima, hoje, com certeza ficará por baixo, amanhã”

A Polícia Federal está igual a maribondo de chapéu quando alguém mexe em sua casa: ferroando a torto e à direito. E a Vovozona não está para brincadeira. A PF descobriu patifaria no Serviço Público? Exoneração imediata!

Quem dera que todos os ex-Presidentes do Brasil tivessem uma caneta tão pronta para punir os safardácios como a possui nossa Vovozona. Mas não tinham ou não queriam ter. Poder, nós, os Zé Nings, lhes outorgamos durante anos e anos seguidos. Mas eles não tinham pulso, haja vista o “mané” que hoje tem os fundilhos colados firmemente na cadeira da Presidência do Senado. O peste passou o mandato discutindo se os Presidentes do Brasil teriam ou não, direito de governar por cinco anos, em vez de quatro. E enquanto ele consultava as cuecas no banheiro do Palácio do Planalto, a corrupção e a inflação destruíam o país. Mas o Brasil é fenomenal, gente. Pois não é que ainda continua firme e forte sendo Brasil em vez de “Brazil”? Mais

BOTICA, 27 DE AGOSTO DE 1822

2 Comentários

Assim foi a última cena que o pobre Zé Pigunço viu diante de si. Claro que sua fantasia exagerou a realidade.

Assim foi a última cena que o pobre Zé Pigunço viu diante de si. Claro que sua fantasia exagerou a realidade.

Como uma jaca o “cabra”  Zé Pigunço, da fazenda Itacoatiara, desabou no chão, desacordado. De pé, olhando-o com total indiferença, um ser estranho, que parecia não pertencer a este mundo ou, ao menos, ao mundo humano, observou-o em silêncio e em completa imobilidade. Então, com um profundo suspiro, apanhou o corpo do infeliz caboclo e com cuidado colocou-o sobre a sela do cavalo, que passarinhou e relinchou assustado com aquele ser esquisito. Amarrou o “caboco” para que não caísse da sela e soltou a montaria, que entrou em desabalada carreira rumo à porteira velha e carcomida, a dois quilômetros dali (ver artigo anterior, de 31/10/2012).

O cavalo atravessou a porteira e continuou em galope até cansar. Então, parou para pastar e permaneceu assim, comendo descuidadamente até que Zé Pigunço acordou. Mais

Older Entries